Mesa de luz!

13.6.12

Olá pessoal, como estão?

Hoje vou mostrar o presente que ganhei no Dia dos Namorados. O Antonio estava há muito tempo trabalhando numa mesa de luz para mim, já que acho um absurdo pagar em média R$ 400,00 por uma caixinha com uma lâmpada dentro. A minha mesa, ou melhor, caixa de luz foi feita com todo o amor do mundo e, além de ser exclusiva, vai auxiliar um bocado nos meus trabalhos a partir de agora. 

Luz apagada

Ao contrário da maioria, o Antonio usou uma fita de LED ao invés da lâmpada, que só contribui para deixar a caixa mais pesada. A base foi feita por um marceneiro, toda em MDF, depois o Antonio colocou a fiação e mandou cortar um vidro fosco na tampa. O LED é aceso através de um carregador de celular. Mesmo com todo esse empenho, ele achou que a caixa não estava à altura de um presente bom. Ora, para mim, qualquer coisa feita com amor e pensando em me fazer feliz está SIM à altura de um presente muito digno!

Luz acesa

E aqui já faço um parênteses para algo que li esses dias no blog da Laís Pacheco, sobre marcas: um anônimo comentou numa das postagens dela, sobre produtos da Avon, que essa marca é coisa de pobre. Na boa, acho um saco isso que também existe bastante no mundo da arte, de avaliar o trabalho de uma pessoa pelos produtos que ela usa. Cansei de ouvir blá blá blá de gente frustrada, que costuma dizer que um trabalho não está bom porque o material não é de qualidade (geralmente confundindo a qualidade artística com o valor dos produtos), esquecendo-se de quanta coisa legal é feita com caneta BIC, café, e até mesmo lixo. Só há pouco tempo, quando comecei a me bancar, tive dinheiro para comprar os produtos que sempre sonhei, como estes lápis aqui, mas não para dizer "olha só, tenho uma caixa de lápis importado!", e sim para qualificar minha arte, para experimentar algo novo. Durante muito tempo a única coisa "boa" e "de marca" que tive em minha mesa eram os lápis aquareláveis da Faber Castell, daqueles escolares mesmo, e que me serviram e ainda me servem muito bem. Nem mesa eu tinha, mas isso não me impediu de continuar desenhando. Então, dou muito valor a tudo que chega às minhas mãos, seja feito de maneira artesanal, seja comprado na papelaria mais furreca, seja parcelando infinitamente no cartão... e isso é pra tudo, não só pra material de desenho. #PRONTODESABAFEI

Abraços e até o próximo post!!!

Lidiane :-)

Veja também

2 Comentários

  1. Isso aí, disse tudo!
    Tenho muito orgulho em dizer que uso delineador do Avon para criar maquiagens, invento moda com sacos de lixo e roupas de brechó \o/, além de, por muitos anos, adaptar uma bancada feita de tábua sobre várias superfícies, me serve de mesa para tudo, como o banco que vira mesa de costura e base para minha máquina de rebites, além de várias "gambiarras" indispensáveis e exclusivas rsrsrs!
    Bela iniciativa do Antonio, como eu sempre digo, o que seria da criatividade, se não fosse a possibilidade de ver na "falta" de recursos, todos os outros recursos possíveis?
    Bjos!!!!

    ResponderExcluir
  2. É verdade, é na falta de algo que colocamos a cabeça para funcionar hehehe.

    Beijão!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso do blog clicando aqui.

Subscribe