Moleskine #28

2.5.14


Lembram que uma das minhas 14 resoluções para 2014 era sair da zona de conforto? Então, estou tentando colocar isso em prática o máximo que posso. É interessante observar que, na grande maioria das vezes, as melhores ideias surgem de maneira espontânea e, de maneira mais espontânea ainda, a mão consegue colocar tudo no papel, como se fosse algo super natural. E é! Quando minha cabeça está livre de encucações e coisas idiotas, as ideias fluem sem escalas para a folha em branco. 

Muita gente no Facebook curtiu o último desenho que fiz no meu Moleskine, e acredito que seja pelo fato de ser algo inesperado e diferente do que faço. Também acho que a espontaneidade do traço ficou evidente, como todo sketch deve ser. 


A inspiração para fazer uma figura tão forte veio desse post do Think Olga, sobre cultura da bonitice, essa necessidade que a sociedade patriarcal impõe à mulher, de estar sempre sorrindo, linda e de bem com a vida. Nos é negado o direito à tristeza, à raiva e à velhice (dentre outros). Precisamos ser bonecas de cera, sempre impecáveis para nossos parceiros. Mas minha figura diz que não.


Perdoe-me, mas serei eu mesma, carregando minhas próprias cicatrizes e minha história de vida.


Material utilizado:
- Lapiseira 0.9 para os contornos;
- Caneta Uni Pin preta 0.3;
- Caneta Pigma Brush preta;
- Caneta Sharpie vermelha.

Então, o que acharam desse trabalho?

Abraços,
Lidiane :-)

Veja também

0 Comentários

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso do blog clicando aqui.

Subscribe