Na prancheta #5

16.9.15


Tudo o que estava na prancheta do mês passado, permanece lá. Mas, mesmo assim, resolvi pôr em prática coisas que vinham rondando a minha cabeça, e deixar as ideias fluírem naturalmente no papel. 

Meus rascunhos costumam ser muito hachurados, riscados, apagados, sobrepostos... acho que isso faz parte da nossa marca gráfica, das pegadas que deixamos no caminho até a decisão final. Daí a importância de ver esses registros não como feios, tortos ou indecisos, mas como parte do nosso aprendizado.




Esse último esboço, que também abre o post, foi resgatado dos meus arquivos antigos. Eu tinha a maioria da figura pronta, e como dou muita atenção aos retratos, resolvi que era um bom momento para retomá-la. Estou curtindo o processo, acredito que coisas muito boas estão reservadas a esta mocinha. 

Veja também

6 Comentários

  1. Lidy, adoro ver seus esboços e rascunhos. Tô curiosa pra ver como vai ser esse desenho com figura humana! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preciso terminar os pezinhos *--*
      Espero que fique bom o suficiente para ser a nova header do blog <3

      Excluir
  2. acho lindo esses desenhos todo rabiscado, livre, sem compromisso! mas não consigo ter essa leveza toda no lápis quando faço esboços. T__T eu sempre apago o que é "erro". :/ Lidy, xô te perguntar uma coisa, eu vi que tu tens uma mesa de luz. Tu consegue usar ela até com o papel para aquarela (que é bem mais grossa) pra transpor um desenho feito em papel manteiga, por exemplo? Tipo, colocar o papel pra aquarela em cima do papel manteiga, sobre a mesa de luz, o desenho aparece? Eu tenho uma dificuldade enorme de conseguir fazer o mesmo desenho, exatamente igual ao que fiz no meu sketchbook, no papel pra aquarela. nunca fica igual D:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia!
      Na facul tive um professor que chamava isso de linha cabeluda e xingava muito hahaha. Mas curto demais meus rascunhos ~muito~ rascunhados.
      Sobre a mesa de luz: consigo passar qualquer tipo de papel, até mesmo o para aquarela, que é mais grossinho, e o kraft, que é mais escuro. Mesmo com o traço do lápis no outro papel bem fraco, se eu apagar todas as luzes e ficar só com a da mesa, consigo fazer todo o traçado.
      Minha mesa é artesanal, feita de MDF e luz de LED, uma profissa deve ser melhor ainda de trabalhar. Foi meu namorado que fez. Acho que vou acabar mostrando como se faz, porque vi que as mesas de luz estão super caras :)

      Excluir
    2. bhaaa!! mostra mesmo!! Por que realmente são caras T_T vou ver se suborno o namorado pra fazer uma pra mim também T_T aiueheaui
      Ah, "linha cabeluda"! aeuihauiehai voltei ali pra ver, acho que até dá pra fazer a associação mesmo haha. mas eu acho muito legal esses traços soltos. eu tive um prof que incentivava a não usar borracha, mas nunca consegui T_T

      Excluir
    3. Lembre-se disso: linha cabeluda hahaha :D
      Eu vou fazer sim um post mostrando a mesa de luz e como ele fez, onde comprou a fita de led, enfim, coisas para nos ajudar nesse momento de crise.
      Bjs!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso do blog clicando aqui.

Subscribe