Sobre presença na rede e crítica

30.9.15


Não sei se foi a chuva forte da semana passada, que deixou o clima insuportavelmente melancólico, ou se foi a influência da Marie Kondo involuntária que faço de vez em quando, o fato é que comecei a repensar minha presença na rede. CALMA, NÃO VOU ACABAR COM O BLOG! Na realidade, todas as mudanças já foram feitas, e talvez você nem notou. Isso só confirma a teoria de que tinha muita coisa inútil na minha vida virtual.

Desde o início do ano estou em processo de faxinas, de me livrar daquilo que não me serve, doar e ver a energia circular. Achei que era necessário fazer o mesmo com minhas redes sociais. Por isso, deletei Flickr, Tumblr, Behance e mais uma série de perfis vazios, de coisas que nem comecei. Também me despedi da minha loja no Colab55, porque as vendas estavam aquém do esperado.

Dá uma certa pontinha de dor no coração ver um perfil sendo deletado, mas logo passa, pois existem coisas mais importantes para pensar. E eu realmente não dava conta de atualizar tudo, não conseguia pensar em conteúdos exclusivos e ficava presa num círculo vicioso que não fazia nada bem. Deixei o essencial, e criei um portfólio no Cargo Collective, que é mais profissional e me obriga a ser seletiva no que vou postar, além de ter uma interface extremamente clean.


Sobre acabar com as lojas nacionais e ficar somente com o Society6, a questão foi foco: quero me dedicar ao Padrim, às recompensas dos apoiadores, aos cursos e projetos paralelos. Não quero ter a preocupação de divulgar mais uma loja, de fazer mais produtos que serão ou não vendidos. Então, se você quiser uma ilustração como as desse post, ou uma aula virtual, considere me apadrinhar! E, claro, as encomendas continuam.

Outra coisa que veio junto com esse processo foi o reconhecimento de onde preciso melhorar. Em julho, submeti minhas ilustras para uma revista, e elas foram rejeitadas. No e-mail de retorno, a editora foi bem clara: envie seu trabalho no próximo ano, para que possamos ver seu crescimento. Aquilo, para mim, foi um incentivo e tanto: tive um parecer imparcial sobre o que produzo, e um ponto a trabalhar. Então, voltei a estudar coisas básicas, como cor e composição, retornei ao meu material de origem, que é o grafite, e pus a mão na massa. Sem ressentimentos ou xororô. Aquele e-mail foi um empurrão, e dali em diante sinto que tenho melhorado. E, claro, vou submeter meu portfólio para avaliação novamente!

Hoje lanço a primeira newsletter para as madrinhas e padrinhos do Padrim, fiquei muito nervosa com o tipo de conteúdo que selecionaria e, sinceramente, não sei qual será a reação deles. Assim como também não tenho um termômetro sobre as recompensas. Mas aos poucos vou adaptando minha rotina ao que dá certo e ao que precisa ser modificado ou excluído.

Continue me acompanhando através das redes sociais que estão logo abaixo da minha foto de perfil, e também pelo Snapchat: lidydutra. Amanhã começa o mês de outubro e, com ele, o Inktober, projeto mais maravilhoso do ano e que já guarda muitas surpresas. Ainda não sei como vai ser a dinâmica por aqui, mas os posts diários estão confirmados no meu Instagram e Facebook.

Abraços,
Lidiane :-)

Veja também

18 Comentários

  1. Oi Lidi :D

    Eu também andei fazendo uma limpeza no meu mundo virtual ultimamente, e é recompensador, sensação de espaços livres.

    Seus desenhos são lindos e com certeza você evoluirá a ponto de ser aceita nas tais revistas ano que vem.

    Um beijo :*

    http://amorticinio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      Estou me sentindo aliviada depois dessa limpeza, pude abrir espaço para coisas novas e para projetos de real valor, vale a pena.
      Obrigada pelo carinho, certeza que vou enviar meus trabalhos no próximo ano ;)

      Beijo! :*

      Excluir
  2. A gente vive num eterno processo de aprendizado e evolução, então, nada mais natural do que algumas coisas serem excluídas por não mais atenderem a nossas necessidades. Isso também vale para a questão da crítica. Mas saiba que já te admiro pela coragem de levar as coisas adiante, de dar a cara ao tapa, e pela confiança que tens em ti mesma (sem falar da humildade e simpatia), porque, sinceramente, eu sou uma cagona. T_T penso mil vezes antes de tomar uma decisão, e geralmente cago tudo ¬¬ Mas enfim, como tu mesma dissestes, sem xororô. Ah, esse vai ser o primeiro ano que participo do Inktober, to louca pra ver o que vai sair do pessoal, e dos meus desenhos T_T o/.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Bia, caiu um cisco no meu olho aqui, agora. :} Eu tô sempre tentando, não vai ser por falta de tentativas que vou desistir, sabe? Tem coisas que dão certo, outras não, e depois de um tempo aprendi que aquilo que não me serve, tem que sair da minha vida.
      Já quero ver a produção de todo mundo nesse Inktober, vai ser o ano mais lindo desse projeto o/
      Beijão! :*

      Excluir
  3. Nossa, eu também preciso fazer uma faxina dessas, chega uma hora que a gente perde tanto tempo tentando dar conta das mil e uma redes que a gente faz parte que acaba não se dedicando direito a nenhuma delas :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Maria Fernanda, eu estava nessa de não me dedicar a nada direito e ficar muito dispersa. Sem contar que é um problema que pode afetar nossa segurança também, imagina se vaza algum dado, uma senha, pra lembrar de tudo e tomar conta da situação a tempo é difícil.

      Bjs! :*

      Excluir
  4. Oi Lidi!
    To precisando me livrar de umas redes sociais também.
    Mas primeiro, preciso me livrar de coisas físicas! heheh
    Boa sorte com tudo "novo".
    E olha ali, minha garota Misty! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois que entregar a tese, tudo flui hahahaha

      Beijo!

      Excluir
  5. Este post foi feito para mim e me descreveu lindamente, só pode! HAHAHA Como você bem sabe minha flor, fiz uma faxina nos últimos meses de forma radical mesmo. Foi uma intervenção muito bem pensada por meses e que quando fui executar, depois de ter me preparado psicologicamente pois nos apegamos mesmo, foi somente ir nas configurações e sair deletando. Tirei tanta coisa que tinha meu nome e como muito dos seus perfis, também estavam vazios. Qual a necessidade, né? Só ter mais um nome na rede não tem lógica. Não entendo pessoas que a toda rede social nova no momento vêm a necessidade de estar inseridas. Complicado.

    E digo mais: ainda há muito o que fazer por aqui ainda. HAHAHAHA Digamos que tenho que resolver ainda algumas pendências com meu antigo blog inativo de postagens que ainda tem redes sociais no ar e outras milhares de organizações no meio digital. Aos poucos a gente entra nos trilhos como nossa vida real e virtual, não é? Aos poucos vou mostrando estas mudanças no meu cantinho e vou fazendo o que parece certo para mim. Viver é muito bom e viver em off é melhor ainda. Obrigado pelo lindo post, você viu bem como destralhei e estou destralhando, agradeço. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ewerton! Foi a tua postagem que me motivou a fazer a faxina nas redes sociais. Há muito tempo eu estava infeliz com várias coisas que vinham acontecendo, com minha preocupação e produzir conteúdos relevantes (e que não estava cumprindo), com aquela paranoia do like e aquele pensamento de "poxa, fiz uma coisa tão legal e ninguém deu like" e vi que essas coisas eram um veneno para minha criatividade - e para minha sanidade mental.
      Por isso, fiquei com o que considero essencial, e nada impede uma segunda rodada de faxina nisso tudo, pois estou buscando uma vida mais simples e com mais coisas que realmente importam.
      Vejo tanta gente compartilhar bobagem no facebook, porque não me dedicar a compartilhar coisas realmente legais? Links para páginas de outros artistas, para projetos, para ações sociais? Meu termômetro é um post que faço todo mês, o "minhas inspirações", as pessoas adoram, pois é isso que elas querem consumir: coisas relevantes, que vão inspirar, que vão levar a algo maior.
      Seguimos firme na nossa caminhada da simplicidade, chegaremos lá!

      Grande beijo,
      Lidiane

      Excluir
  6. Oi, Lidy! Acabei de me mudar de cidade com gato e cuia, mas foi só isso... não fizemos mudança de fato, pois era mais caro fazer a mudança que comprar tudo novo. Meus pertences devem ter sido reduzidos a uns 5%... Ahaha. Essa fase de desapegos é difícil no começo, mas depois empolga e é gostosa também. Parece que as energias se renovam. Eu já sou um pouco sucinta na minha vida virtual, mas é capaz que uma hora dessas faça uma limpa maior também!

    Quanto ao envio do portfólio pra revista, também admirei a sua coragem! Sou que nem a Bia, mó cagona (em processo de tentar não ser). Continue trabalhando, mostrando pro mundo e buscando feedback de alguém que você confie e possa te ajudar a evoluir (sinto que as vezes precisa ser alguém mais experiente... há pouco tempo tive aulas com um ilustrador que eu admiro muito que achei que me ajudou muito... apesar de estar meio parada na produção por conta da mudança). Eu acredito muito que a diferença entre quem chega 'lá' e quem não chega e continuar estudando e produzindo consistentemente e persistir no que se deseja. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Liliana!
      Boa sorte na casa nova, estou acompanhando as aventuras dos teus gatinhos no instagram (são uns amores!), Também achei difícil desapegar no começo, mas depois que vi o espaço se abrindo, a vontade de fazer coisas novas, fiquei motivada.

      Eu era muito cagona também, mas resolvi arriscar porque não tinha nada a perder, sabe? No máximo eles iam recusar, mas o legal foi que eu tive esse feedback e consegui melhorar. Quero ver se consigo fazer algumas aulas também, me sinto solitária às vezes, preciso de alguém para conversar e ver se estou no caminho certo.

      Beijos!

      Excluir
    2. Pois é!!! Tou bem feliz que meus filhos gatos tão se dando bem! Muito amorzinho! <3

      Tá certa! O não a gente já tem e com feedback dá pra manter o que é bom e afinar o que tem que afinar!

      Esse período que eu tive aula com o ilustrador (Renato Alarcão, vai que tu conhece) foi muito legal! Me identifiquei com ele e com os colegas mais do que em qualquer outra experiência coletiva de aprendizado artístico que já tive... Quero achar uma nova forma de ter uma galerinha pra evoluir junto porque a troca e sinergia é muito massa.

      Beijos!

      Excluir
    3. Meu sonho é fazer aulas com o Alarcão! Muita gente que conheço já participou das oficinas dele e curtiu bastante, e ele parece ser uma pessoa muito gentil e que tem muito a ensinar, adoro os artigos dele na Revista Ilustrar. :D

      Excluir
  7. Ai Lidy,se tem uma coisa que não sei fazer é marketing próprio do meu trabalho.Minha irmã vive dizendo pra eu fazer todas estas redes sociais que vc disse que tá apagando,mas eu não consigo manter nenhuma :( Já fiz um deviantart e deu em nada,eu desanimo rápido saca?Largo a mão.Só tenho o insta mesmo e a page no face.Tô pensando em deletar a conta do society tbm pq deu em nada aquele troço,ninguém compra mesmo.Na real venho repensando acerca dessas lojas que cobram uma grana explorando nosso trabalho e a gente não ganha quase nada.Todo meu processo criativo pra ganhar uns míseros dólares,por isso apaguei aquele collab tbm,puta exploração,vendem um case de iphone por 50 conto e vc ganha só 5 reais?Nam.Eu to investindo numa lojinha virtual com as ilustras q faço,faço tbm moleskines e coisas artesanais com meus desenhos.To pensando ate em fazer curso de costura p fazer umas ecobags sabe?Eu gosto dessa parada handmade por mim mesma,acho mais valido.Queria saber se vc acha q um blog ajuda na divulgação.Tu acha que tem retorno?Eu não gosto de me expor muito na internet pq parece q fico postando pras paredes hahaha...Ninguem olha nada,sei lá é todo mundo tão orgulhoso,principalmente quem tem mto seguidor.Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então, guria, eu era um zero à esquerda quando comecei, se tu for até as postagens mais antigas do blog chega a ser vergonhoso. Aprendi a vender meu peixe vendo o que os outros faziam. E procurando tutoriais ou qualquer coisa que me ajudasse. Me obriguei a estudar inglês, a ser mais receptiva, nesse sentido foi muito bom abrir o blog, além dos contatos e amizades. Recomendo que tu faça o blog, ou um tumblr, caso queira compartilhar só imagens. É um jeito de atingir um maior alcance.
      Meu plano a longo prazo é fazer um site profissa, com todos os meus trabalhos separadinhos por ano, porque o dia que eu cansar disso tudo, terei meu trabalho num lugar só, "imortalizado" ali rsrsrs
      Também tenho pensado muito nessas lojinhas. Fechei o Colab porque ficava meses sem vender e a própria loja nunca me divulgou como a outros artistas, e isso acontece muito. Ainda mantenho o Society6 porque com a alta do dólar, tudo que vendo por lá multiplica por 4 e acaba compensando demais. Preferi investir no Padrim porque é uma forma justa tanto para quem apoia, quanto para quem produz, pois eu escolho o tipo de recompensa de acordo com a contribuição.
      E procura te cercar sempre de pessoas que vão te ajudar, tive muita sorte em encontrar pessoas lindas, como a Nanda Corrêa, as Ju's Rabelo e Fiorese, Isabella Pessoa, Thaís Fernanda, Bruna Morgan... Gente é uma lista e tanto... Gurias que conheci na rede e são muito solidárias com outras mulheres. Pode contar comigo pra ajudar a divulgar teu trabalho, que é lindo e digno do que se vê na gringa, já disse isso. ;)
      Beijos!

      Excluir
  8. Oi, Lidiane. Acabei de encontrar seu blog e já estou adorando as postagens :D
    Estava pesquisando sobre a experiência dos artistas em relação ao Colab55, adorei que encontrei seu texto e sua opinião, pois me ajudou muito! Estou tendo uma experiência ruim com o Colab55, pois não achei legal que o meu trabalho não aparece em nenhuma pesquisa que faço no site deles.
    Ainda estou começando a planejar e organizar meu estúdio, mas já acho que sua atitude de fazer uma limpa e ficar apenas com as plataformas que são benéficas à você é uma ideia incrível!
    Eu nunca consegui ter um blog, tenho vergonha de escrever. Com sua experiência, acha que seria melhor eu tentar ter um?
    Aliás, não posso deixar de dizer que adoro o tema dos seus trabalhos!
    Desejo muita força e energias positivas para você!! Tudo de bom! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada pela visita :)
      Então, eu tive essa experiência com o Colab, de vender muito pouco, de ter que comprar produtos com o meu dinheiro para ver a qualidade e não ter divulgação por parte da loja. Além disso, a comissão é muito baixa comparada à do Society6, onde vc estipula o preço dos prints. Por isso acabei desistindo das lojas nacionais.
      O blog é um excelente canal de divulgação e comunicação, mas se vc tem vergonha de escrever, é melhor criar um tumblr, por exemplo, e focar nos seus trabalhos, ou então um flickr. São plataformas mais amistosas para quem sente vergonha de se expor, mas quer mostrar suas artes e estabelecer contatos profissionais. :)
      Grande beijo! :*

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso do blog clicando aqui.

Subscribe