Dúvidas sobre lojas virtuais

Por - 17.11.15


Diariamente recebo perguntas sobre lojas virtuais, que já não dou conta de responder, seja por inbox, comentários ou e-mail. Como as questões são bastante parecidas, resolvi fazer um compilado de respostas em vídeo. Não ficou muito bom (o barulho ao fundo está um horror), mas espero ter jogado uma luz no assunto, até mesmo porque existe pouco material para explicar o funcionamento desses espaços, tanto nacionais quanto internacionais. Dá o play:


Antes de sair se cadastrando em todos os sites possíveis, tenha em mente algumas coisas:
- O que eu quero, enquanto produtor de arte, com meu espaço? Escoar produção excedente, ter uma renda fixa ou extra, criar meus próprios produtos, produzir sob demanda, etc.
- Que tipo de espaço eu quero? Nacional ou internacional, que se encarregue de todo o processo ou que me forneça uma plataforma de gerenciamento, etc.
- Como vou divulgar meu espaço? Vou deixar tudo sob responsabilidade do site ou traçarei um plano de ação contínuo, vitalício, com foco em datas especiais, etc.
- Após optar por criar uma loja, em qual tipo de espaço devo investir? Plataforma sob demanda, bazar, venda direta ao consumidor, etc.

Reforço que é experimentando diferentes tipos de site que entendemos nossas necessidades. Porém, ter essas perguntas respondidas logo de cara ajuda a economizar tempo e esforços em algo que não trará tanto retorno.

Lembrando que tudo o que falei se restringe à minha própria experiência e, mesmo que você procure uma referência ou ponto de partida, insisto que: SEMPRE depende do que você deseja, as respostas não são padronizadas. O mesmo vale para o financiamento coletivo.

Se você ainda tem algumas dúvidas, aí vai um pequeno FAQ:

- Como eu envio os arquivos para a loja/ me cadastro nela?
Cada site tem suas especificações, pesquise quais formatos e tamanhos são aceitos. O mesmo vale para cadastramento, em muitos é possível fazer login através do seu perfil em redes sociais.

- Quanto você acha que eu posso cobrar?
Quanto você acha que seu trabalho vale? Assista a este vídeo esclarecedor da Mary Cagnin.

- Você pode me dar dicas sobre uma loja específica?
Não, pois como falei no vídeo, cada espaço tem suas peculiaridades, procurei trazer uma visão abrangente para ajudar a todos.

- Dá dinheiro? O quanto você ganha?
Gente, a única coisa que dá dinheiro é pai e mãe. Se você quiser juntar uma grana com loja virtual comissionada, vai precisar se dedicar muito a ela. E se você quer tornar sua loja a principal fonte de renda, sugiro que procure plataformas como Iluria e Tanlup, produza suas coisas e até mesmo pense em ter um quiosque ou loja física. Sobre perguntar para o artista o quanto ele ganha, acho isso muito deselegante e invasivo, como comentei no vídeo. Não seja essa pessoa.

- Mas você não acha que 10% de comissão é pouco?
Sinceramente, não. Pois a loja arca com toda a produção, envio e sistema de pagamento. A arte sempre será sua e você pode tirar seu espaço do ar a hora que quiser, escolher outra plataforma ou outro método de venda. 

- E sobre concursos de estampas?
Dê uma olhadinha nesse post da Bia Reys e no comentário que deixei lá.

Algumas resenhas que podem ajudar:

- Sobre produtos do Society6;
- Sobre produtos do Colab55;
- Sobre produtos da Urban Arts.

Se este post não bastou, recomendo procurar diretamente o serviço de atendimento das lojas. É lá onde as dúvidas recorrentes são respondidas, e você pode encontrar todos os e-mails e telefones para contato. É muito importante conhecer o espaço no qual você quer fincar sua bandeira, por isso, antes de mais nada, sempre busque informações nos sites e canais oficiais das lojas.

- FAQ Society6;
- FAQ Colab55.

Veja também

10 Comentários

  1. Post muito útil, alias todo blog tem me ajudado bastante, tô amando seu blog *-*
    Sou estudante de design, mas na metade desse ano decidi que quero ser ilustrador, e coloquei isso na cabeça rsrsrs e tenho tentado me esforçar e me dedicar pra que eu possa está crescendo nesse ramo que tanto amo, claro que vejo que muitas vezes não a tanta valorização como queríamos, mas fazer o que ama não tem preço, tenho conta na Collab e no Society6, mas ainda estou organizando, até criei um blog porém ainda estou montando tudo, e seu blog tem sido uma fonte de inspiração. Ótimo conteúdo!! Ganhou mais um leitor.. abração!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Greg, obrigada!
      Fico muito feliz que o post e o blog estejam te ajudando na profissão :)
      Ótimo ver uma pessoa que está se profissionalizando e buscando maneiras de apresentar seu trabalho da melhor forma possível. te desejo muita sorte e sucesso, assim que tiver o blog pronto, deixa o link para eu visitar! ;)
      Abração!

      Excluir
  2. Excelente post e vídeo, Lidy! Inclusive tu tocou num assunto bem delicado (no meu ponto de vista) que eu ainda não tinha visto ninguém falar, que é a questão de arcar com as consequências sobre envios de pacotes por correio, com o cadastro de algumas lojas. Já pensei em me cadastrar num desses sites que tu citastes, mas depois de tu tocar nesse assunto, resolvi pensar melhor sobre isso. hehe. A responsabilidade com isso é algo que pesa bastante. Ou deveria, pelo menos... Realmente, é uma baita responsabilidade manter uma loja. E comprometimento com ela... E é interessante falar nisso, por que muitas vezes (se não sempre) o teu comprometimento é que determina o teu sucesso, né. Determina como o teu público te vê... to sentindo isso com o meu blog parado por esses dias. :/ mas a vida é isso, né. Enfim, obrigada pelo post, me ajudou a pensar em várias coisas!
    bjss :**************

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia (nossa, como demorei pra chegar aqui e te responder --'), obrigada!
      Esse vídeo tem muito de desabafo também, confesso. Porque chega tanta gente falando de dinheiro, achando que é fácil vender a arte e viver das coisas que a natureza dá, que é preciso trazer a realidade de uma loja virtual. É um compromisso grande, requer responsabilidades e precisa ser estudado.
      Eu fechei minha loja no Iluria porque não estava conseguindo vender e também porque fiquei assustada com a possibilidade de não dar conta dos envios, de calcular frete errado para mais ou menos, de o pacote chegar extraviado e eu ficar de mãos atadas (afinal, eram os originais que estavam à venda)...
      Concordo contigo que o comprometimento determina o sucesso, e também o respeito que a pessoa terá perante o público. Sempre aviso quem quer comprar pelo Society6 que demora, que pode ficar preso na alfândega, que encomenda internacional tem N implicações. Então quem compra está bem ciente de tudo. Felizmente, sempre entregaram direitinho para o Brasil.
      Tomara que ajude mais pessoas também (e que eu melhore nos próximos vídeo hahahaha)
      Beijão! :***

      Excluir
  3. Lidy, como sempre, deu show! Adorei a explicação e isso é muito bom, ajuda a escolhermos qual caminho seguir ou não seguir ou mesmo até quando aguardar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mateus, obrigada!
      Espero ter ajudado bastante, com o tempo pretendo fazer mais vídeos explicando alguns posts antigos e dúvidas recorrentes. :)
      Abraços!

      Excluir
  4. Curti o post.Eu fechei minha loja no collab e no society pq cansei desses sugadores rsrs.Pretendo fazer uma lojinha no illuria pra vender meus artesanatos, mas pra divulgar mais usarei o instagram que e uma ferramenta bem útil.Infelizmente o alcance da publicidade no facebook anda bastante limitada cada vez mais, a gente precisa dar sempre $$ pra conseguir um alcance maior do público. E poxa gente, dinheiro não cai do céu de uma hora pra outra não. Acho que abrir uma loja é um investimento a longo prazo, vc nunca vai conseguir deslanchar de uma vez.É um trabalho que demora um pouco pra retorno,tem que ter paciência. O lance é que a galera quer dinheiro pra tipo hoje,e não funciona assim.Somos uma geração muito imediatista, e se parar pra pensar hoje temos um espaço maior pra publicidade pra artistas independentes como a gente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Gabi, mas poucas pessoas tem essa consciência de que a loja é um investimento a longo prazo, e eu sinto isso toda vez que a dúvida recebida é em relação exclusiva a dinheiro: dá dinheiro, paga bem, dá retorno... isso me deixa super chateada, por que poucos demonstram estar preocupados com o próprio trabalho.
      Tenho lido coisas sobre o instagram não estar divulgando todos as imagens, e que o sistema vai ficar igual ao do facebook. Se for verdade, não tem mais pra onde ir! Já paguei para divulgar, mas não vale a pena, pois no final tudo vira só like.
      O iluria tem um dos melhores sistemas de loja que já testei, é tudo muito claro - desde as taxas cobradas até como personalizar o layout da tua loja e calcular o frete. Acho que é a melhor plataforma online nacional para venda direta, fico no aguardo da tua lojinha *---*
      Beijos!

      Excluir
  5. Muito bom video! Quisera eu ter encontrado esse post quando estava pesquisando sobre essas coisas de POD. Não tenho muitas artes finalizadas.. me considero um artista amador/iniciante, que praticava mais por hobby (tenho outra profissão), mas sempre tive o desejo de ter o desenho como uma opção de fonte de renda (e quem sabe a principal um dia.. rs).
    Pesquisei muito para encontrar POD no BR, mas me pareceu quase exclusivamente do exterior, encontrei somente o Colab55 que era mais aberto à entrada de novos artistas, a Urban Arts e o Cazulo. Cheguei a fazer cadastro em uns internacionais, mas não consegui manter um blog em inglês (na verdade eu ainda estava estruturando como funcionaria) para divulgar. Também não havia encontrado ainda um 'patreon' brasileiro.. bom saber que existe!
    Bem, agora lancei um site para vender pelo Colab55, e vender alguns itens de artesanato também, através do Elo7 (por enquanto). Eu estava preocupado também quanto a qualidade dos produtos, mas graças a seu outro post, poderei aguardar um pouco mais para comprar um com minha arte, que já pude sentir certa segurança.
    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que o post tenha ajudado!
      Realmente é um mercado novo no Brasil, acho que a primeira loja foi a Urban Arts. Conheci o S6 por meio do pessoal do Camiseteria, na época em que os sites de concursos de estampas estavam bombando, mas só de uns dois anos pra cá que começaram a aparecer espaços sob demanda confiáveis no país.
      Recomendo bastante o Colab55 e no exterior o S6.
      Boa sorte e boas vendas!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário. Saiba mais sobre os termos de uso deste espaço clicando aqui.