Quando o lúdico é um problema

27.4.16

Bey rainha, o resto nadinha. Imagem via.
Se você não estava procurando água em Marte, deve saber que Beyoncé lançou Lemonade, um trabalho extremamente maduro, influenciado pela cultura negra e pela jornada da própria cantora. Até aí, tudo bem. Acontece que, rolando meu feed do Twitter, encontrei uma crítica ao álbum que, dentre outras coisas, ressaltava o caráter lúdico da narrativa. Putz.

Já não é de hoje que percebo um fenômeno se abater sobre arte feita por mulheres. Por mais forte, referenciado e bem executado que seja, muitas vezes o trabalho produzido pelas minas é taxado apenas como lúdico. E isso se repete nas artes visuais, música, dança, literatura, dentre outros. Já vi até pesquisa acadêmica receber este "elogio".

Lúdico, para quem não sabe, se refere ao ato de brincar.  Uma atividade lúdica é aquela que envolve brincadeiras, jogos; algo capaz de facilitar a aprendizagem (dentro do discurso educacional) e de entreter, divertir.

Certa vez recebi uma mensagem, através do Facebook, de um ilustrador que conheceu meu trabalho a partir das lojas virtuais. No meio da conversa, o camarada me solta um: achei que seu trabalho é mais lúdico (que o dele). Numa outra ocasião, um cara também teceu comentário semelhante a respeito de um pequeno estudo, dizendo que admirava muito essa coisa lúdica.

É bem complicado encarar um feedback tão enviesado, afinal, meus trabalhos são reflexo das minhas próprias experiências, um espelho da mulher que sou, que fui e que desejo ser. Sem brincadeira. Explorar elementos fantásticos e referentes ao sagrado feminino não significa querer colocá-los de forma lúdica, existem n interpretações.


Diante disso, eu paro e penso: as pessoas realmente sabem do que estão falando ou apenas querem desqualificar o meu trabalho, dizendo que ele não é sério ou importante o suficiente para se igualar ao delas? Achei que era um problema isolado, até ver que acontecia com várias mulheres. 

Se até o álbum mais politicamente engajado da Beyoncé recebeu a alcunha de lúdico, temos um problema. Quando insistimos na ideia de que a arte produzida por mulheres é apenas uma brincadeira, um simples divertimento entre uma coisa mais importante e outra, não estamos levando essas produções a sério. Dizemos, nas entrelinhas, que os frutos daquela pesquisa não são suficientemente bons para estarem entre a arte de verdade. E o que é arte de verdade?


Claro que muitas artistas optam conscientemente por utilizar o lúdico em suas obras, principalmente as que têm o público infantil como foco. A grande questão é o nivelamento das produções, mesmo sem conhecer a trajetória da mulher. Isso reforça estereótipos muito problemáticos como, por exemplo, que a arte é só um hobby, que existem trabalhos "de mulherzinha" (um exemplo literário que cabe aqui é o chick lit).

Eu nem ia escrever esse post, porque: 1. não era uma pauta com a qual gostaria de lidar tão cedo; 2. da última vez que escrevi um texto reflexivo aqui, teve anônimo magoadíssimo, chorando nos comentários. Mas achei necessário trazer a questão à tona e gostaria que outras minas se juntassem ao debate, para que a gente possa trocar experiências.

Vocês já passaram por situações parecidas? Como reagiram?
Contem aí nos comentários e vamos fazer as ideais circularem.

Veja também

14 Comentários

  1. Muito boa a sua reflexão! hm
    Infelizmente nada do que fazemos é levado a sério, temos que nos sobrepor ainda mais que os outros para "mostrar" esforço, como se não tivéssemos feito tamanho esforço.
    Sobre o album da Bey, eu to doida pra ver, tem rolado muito comentário na timeline do face sobre a crítaca que ela faz, o outro clipe foi maravilhoso!

    www.generoproibido.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Stefanie!
      Tem muita gente que ainda pensa que é um discurso vitimista apontar coisas em nossa cultura que estão erradas e nos desfavorecem, mas cada vez mais tenho certeza de que precisamos questionar esses "elogios" que só enfraquecem nossos trabalhos.
      Acredito que, se a obra realmente tiver um conteúdo lúdico, ok. Mas sair falando isso para toda artista mulher é muito falta de noção.
      Esse álbum da Bey tá um tiro, que mulher!
      Bjs

      Excluir
  2. Que reflexão interessante, Lidy! Não sei se alguém pensa esse tipo de coisa das coisas que eu faço, mas confesso que eu mesma ando pensando na relevância do meu trabalho atual enquanto arte 'de verdade' (o que é isso afinal?)... Tenho pensado nisso porque ando cogitando me inscrever em editais e, pode ser paranóia minha, penso que boa parte do meu trabalho hoje é muito 'comercial' (e quem dera ser uma grande comerciante! :)). Enfim... Acho que arte não é só algo estranho ou feio ou incomodo que sisudamente critica a sociedade. Na verdade, em geral, acho que prefiro o 'lúdico' ao 'sério'. Uma coisa que noto, porém, é que meu 'público' é majoritariamente feminino! Não acho ruim não, mas daí já dá pra ver quem que eu (a gente) toca mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lili!
      Eu já participei de alguns editais e é uma incógnita o que passa pela cabeça de alguns avaliadores (não todos, claro). Porque trabalhos com perfil muito semelhante às vezes entram, às vezes ficam de fora. Então uma dica que te dou é ver editais passados, o que foi aprovado, qual é o estilo preferido pela banca, para ver se tu podes inscrever tuas obras como são, ou se precisas adaptá-las.
      Sobre ser comercial ou não, acredito que a internet vem quebrando essa barreira, com as autopublicações, os coletivos, as exposições curadas pelos próprios artistas e os espaços de venda, que facilitam a chegada até o público. E penso que o sistema "formal" das artes ainda não sacou tudo isso.
      Beijão! :*

      Excluir
    2. Vou procurar!!! Até pensei em inscrever uns trabalhos antigos menos 'comerciais'. Boa dica! Obrigada!!! :***

      Excluir
    3. Dá uma procurada nos editais dos pontos de cultura e de fomento federal, são mais detalhados do que os de instituições particulares, na maioria das vezes.
      Bjs :*

      Excluir
  3. Eu já pensei sobre isso, porque já tinha lido a respeito dessa falta de visão mais séria para com trabalhos feitos por mulheres... E me preocupo muito com o que eu faço, porque eu, por exemplo, sou uma que utiliza o tema ludicidade nos meus desenhos propositalmente. Me preocupa que as pessoas confundam o tema pela seriedade com que pretendo encarar o mercado. Mas esse negócio de "desenho de menininha" é complicado mesmo, enquanto houver o estigma do rosa é pra menina e azul pra menino, creio que isso se perpetuará...

    Mas, tipo assim, sério mesmo que alguém disse que o teu trabalho é lúdico??? D: Acredito que há gente que faça esse tipo de comentário por má fé mesmo, mas também acredito que haja muita falta de interpretação. Ainda não recebi nenhum comentário ofensivo desse tipo... provavelmente por causa do que comentei acima... Mas, sabe, apesar de muita gente dizer que as coisas só estão piorando, eu não acredito que estejam. Acho que é o contrário. O que acontece é que caca só está mais exposta! E por isso, as pessoas estão tomando mais consciência sobre os problemas da nossa sociedade. E o mais legal é que até os mais jovens estão se engajando nessas lutas! ;) Mas olha, acho muito válido levantarmos essas questões reflexivas, sim. Se não falarmos sobre isso, quem irá, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia, é uma questão muito complexa e ligada aos preconceitos de gênero. Toda vez que falo isso sempre tem uma meia dúzia pra dizer que não é bem assim, mas nós que vivemos isso na pele sabemos que a realidade é outra.
      Eu sempre recebo um comentário ou outro a respeito do meu trabalho: ou que é lúdico (aí entra a falta de interpretação e/ou má fé que vc falou); ou dizendo que é feio, ou me assediando (dizendo que as mulheres são tão bonitas quanto eu, haja saco). Duvido que um ilustrador receba esse tipo de comentário. Duvido que um cara com o porte do Hiro, por exemplo, receba esse feedback.
      Outra coisa que fiz foi sair de vários grupos de ilustração do face, devido ao teor sexista de muitas ilustrações e a passividade doa moderadores diante disso.
      Tenho fé que o cenário mude, ou que as mulheres possam se organizar cada vez mais em coletivos que proporcionem ambientes seguros para todas nós.
      Bjs :*

      Excluir
  4. Olá, tudo bem? Nossa eu nunca parei para interpretar a palavra lúdico dessa maneira. Me causou um boa reflexão sobre o tema. Obrigada, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renata, tudo bem! Fico feliz que tenha gostado do text e te feito refletir sobre o tema. Seguimos o debate!
      Bjs

      Excluir
  5. Sim, muito bom! Obrigada por compartilhar. beijos

    ResponderExcluir
  6. Só quero declarar que amei o post e amaria ver vc falando mais sobre 💞 (Quando vc achar q deve claro, só quero demonstrar meu apoio 🍻)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leticia, muito obrigada pelo apoio, é super importante :)
      Tenho vontade de postar mais sobre esses assuntos, mulher artista não é bagunça e precisamos falar isso bem alto.
      Beijos!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso do blog clicando aqui.

Subscribe