Organize suas gavetas

24.8.16

Imagem via.
Lembra daquela mensagem que dizia "use filtro solar", maior sucesso na virada do milênio? O texto foi o mais próximo do que podemos chamar de viral, na época, e ganhou até narração do Pedro Bial (se você ainda era poeira de estrelas em 1999, veja o vídeo  aqui). Enfim, se eu tivesse que deixar uma mensagem para as futuras gerações (aloka), seria: organize suas gavetas. Existe uma metáfora muito interessante entre esses compartimentos e a nossa própria vida.

É quase certo que, quando minhas gavetas estão bagunçadas, cheias de quinquilharias e com muitas coisas velhas e sem importância, que jamais voltarei a usar, minha vida está praticamente a mesma coisa: no aspecto profissional, pessoal, nos estudos, nas relações. Sempre que me dedico a limpar as gavetas, organizar seu conteúdo, separar o que ainda me serve e o que precisa ser doado ou ir para o lixo, acabo dando um jeito nas outras esferas também. Há quem diga que o mesmo acontece quando varremos a casa.

Esse ato de separar, limpar e organizar nos ajuda a ver o que nos impede de ir em frente. É como colocar uma lente de aumento sobre um pequeno botão, cujo casaco de onde ele caiu não possuímos mais, e descobrir o por quê de ainda guardarmos algo que não acrescentará absolutamente nada para nossa existência. E isso se aplica às mágoas, dietas nunca iniciadas às segundas-feiras, promessas não cumpridas, metas que não queremos mais atingir, dentre inúmeras coisas.

Quando faxinei minhas gavetas e percebi que metade dos itens de papelaria havia sido comprada por impulso, decidi doar 90% e investir em materiais que realmente valeriam a pena, somente quando eu sentisse necessidade. Quando faxinei o blog e as redes sociais, na semana passada, deixei uma velha Lidiane  no passado, juntamente com o peso de quem não sabia muito bem o que queria da vida. Já fiz esse exercício também com pessoas e situações, e a sensação de alívio é reconfortante.

Para ajudar você, que também pode estar precisando de uma faxina, vou deixar dois vídeos muito legais: o primeiro é da Fran Meneses, ilustradora que curto bastante, falando sobre cópia de uma maneira muito mais leve do que eu vinha encarando, principalmente nos últimos meses. Foi esse relato que me fez ver que não era certo eu me punir pelos erros dos outros. Quem não manja de inglês, pode ativar as legendas em espanhol.


O segundo vídeo é da Stephanie Noelle, falando que está tudo bem não dar conta de 1000 coisas ao mesmo tempo e ser igualmente excelente nelas. Você não precisa ser impecável em todos os aspectos da sua vida, é preciso pegar leve com aquelas coisas que não podemos ou não conseguimos controlar da maneira que desejamos. Dica que vi no perfil da Camila Averbeck.


Faxinei a gaveta das cobranças, pois sei que não consigo ter tempo hábil para me dedicar a tudo o que gostaria. Passei a focar em coisas pontuais, como: estudar aquarela; estudar gestual; ler; desenhar para mim, sem propósito. Cumpro essas pequenas metas quando posso e me sinto bem. E é sempre bom lembrar que, tanto a gaveta quanto a vida dos outros não são parâmetros utilizáveis para nós. Cada um sabe a hora e maneira ideal de pôr ordem na sua própria casa.

Acabei reativando meu Tumblr, pois sinto falta de uma plataforma criativa para me inspirar, e também para acompanhar artistas que gosto mais de perto. Quem quiser seguir, fique a vontade, por enquanto tenho repostado fotos do Instagram, mas abri o ask me para quem quiser conversar comigo. :)

Veja também

14 Comentários

  1. amei o post e os videos recomendandos <3

    ResponderExcluir
  2. Aaaah Lidi, como estou precisando organizar minhas gavetas, da casa e da vida. Esse texto abriu umas cortininhas aqui pra deixar o sol entrar e me fez pensar em quais gavetas preciso organizar primeiro. Muito obrigada <3

    http://amorticinio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Fico feliz que o texto tenha te ajudado a arejar a casa :) É sempre bom fazer uma faxina e desapegar, e nem precisa de livro ou método oriental pra isso, a própria vida nos ensina que uma boa organização sempre é necessária.
      Beijão :*

      Excluir
  3. Quando vi esse vídeo da Fran fiquei pensando muito sobre isso, e acho que as pessoas tem razões diferentes pra falar sobre cópia e plágio... eu não consigo ficar calma falando sobre isso, e é algo que me afetou e me afeta demais. Eu super entendo o lado dela, eu pensei a mesma coisa durante mto tempo, achei que as pessoas pegavam pesado demais com algo que pra mim era super de boa, afinal, todo mundo começa copiando né? Mas sei lá, a gente alcançou um patamar que pra resolver não dá pra ser light ou ir relevando. Quem já sofreu com plágio não consegue ser indiferente ou imparcial... mas é claro que o approuch dela é bem diferente, e pras pessoas no geral serve como um alerta, o que é bom. É bom que as pessoas estejam falando sobre isso, o problema é que eu estou vivendo outra fase acho. E sobre o segundo vídeo, o que dizer? Eu sinto o tempo todo que tô falhando em alguma coisa, e penso seriamente em fazer certas mudanças radicais pq sério, tem dias que não dá. Haha todo artista vive em algum tipo de crise, eu acho! Mas ótimas dicas xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mary quando comecei a ver esse vídeo da Fran, achei que ela ia passar o maior pano pra quem copia, sabe? Que ia dizer que é natural e blábláblá, ainda mais com o público enorme que ela tem. Já fiquei pensando no desserviço do negócio, mas me surpreendi com a fala dela até o final e como ela diferencia a cópia para estudo do plágio/crime descarado.
      O que complica a situação é a total falta de caráter de quem plagia e ganha em cima disso, e quer vender para o público a ideia de que não é intencional, ou de que existe um inconsciente coletivo atuando no mundo da ilustração. E a gente sabe que não é assim, é sem-vergonhice, mesmo. Por isso te entendo que chegou num patamar inaceitável.
      Mas o que tirei disso tudo é que eu não posso me culpar pelos erros dos outros, entrei numa paranoia de achar tudo que faço ruim, de não ser boa o suficiente, ou de ter um conhecimento que quem plagia não tem, e mesmo assim essas pessoas se darem bem, e acabava me martirizando por algo que não era minha culpa. A postura que tenho agora é denunciar, compartilhar quando algum artista é prejudicado, usar minha voz pra que isso não aconteça, mas não me prejudicar no trabalho e na vida, pelo contrário.
      Estou muito feliz pelo sucesso da campanha do Black Silence, certamente será financiado e essa é a melhor resposta que você pode dar para tudo de ruim que aconteceu: que você tem um trabalho de qualidade e o suporte de pessoas que acreditam no que você faz! É nessas horas que se separa a turma do confete dos profissionais de verdade ;)
      Beijão :**

      Excluir
  4. Aaah, Lidy !! Que post incrível e inspirador. Obrigada pelas dicas e pelas palavras !! A gente sempre está precisando organizar uma coisinha aqui, outra ali, e vida que segue, né ?!
    A Fran é maravilhosa !! Eu já comprei na lojinha dela um journal de viagem que ela fez e sou muito fã do trabalho que ela desenvolve. <3
    E, como a própria Noelle falou, me senti abraçada com o que ela disse !! Por mais que saibamos que é assim mesmo, que está tudo um caos pra todo mundo, etc., é sempre bom escutar de outras pessoas que é assim mesmo. <3 A gente acaba se identificando; e é tão necessário isso, se não a gente enlouquece, ahaha !
    Estou precisando mesmo faxinar várias gavetas da minha vida e, sério, tu vens me inspirando muito em diversos aspectos !! <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 Obrigada !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ju!! Fico feliz que você tenha gostado ❤️ Adoro o trabalho da Fran também, confesso que fiquei receosa quando comecei a assistir o vídeo, pensando que ela iria pegar leve demais com algo tão sério, mas me surpreendi com a postura dela de condenar o plágio veementemente.
      Eu passei por uma fase bem complicada de me achar inapta e incapaz, e sempre que isso acontece é porque estou usando alguém como parâmetro. Aí preciso reorganizar a vida e reconhecer os meus limites - e as minhas conquistas tbm.
      Eu é que abradeço o carinho, fico muito feliz, de verdade, de poder contribuir com alguma coisa boa na vida dos outros :)
      Beijão!! :*

      Excluir
  5. Que post incrível Lidy, e super pertinente aliás! Eu amo a sensação de fazer essa limpeza, de jogar fora aquilo que já não faz sentido pra gente, aquilo que já tá esquecido e cheio de poeira. Falo tanto de coisas físicas mesmo, quanto de sentimentos. É libertador! Parece que o peso dessa quinquilharia que vai fora, a gente arranca dos ombros e finalmente consegue abrir espaço pro novo.
    Gratidão por ler essas palavras, tô precisando desse chacoalho na vida <3
    Beijos!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mariana! Fico feliz que você tenha curtido. Eu adoro uma faxina, literalmente, então já se tornou um hábito, de tempos em tempos, eu fazer essas arrumações em gavetas (e redes, e pessoas...), e acontecem justamente quando minha vida não anda legal. Parece que depois tudo muda e fica mais leve. :)
      beijos :**

      Excluir
  6. Gostei muito do post! Ao terminar de ler senti uma leveza...Eu já tinha assistido o vídeo da Fran, gosto muito do trabalho dela e de como ela compartilha informações e o dia a dia dela! Gostei da abordagem leve, mas ao mesmo tempo bem franca dela! Esse é um assunto bem complicado e acho que existem n situações! Acho que existem aquelas em que já foi conversado várias vezes e temos que procurar nossos direitos mesmo e existem aquelas que uma conversa, instrução e conscientização já resolve. Mas sempre lembro de um vídeo da Clau Souza que eu vi onde ela fala que temos que tomar cuidado para não ficar muito bitolado no assunto (ela não usa exatamente essas palavras, mas é isso que eu entendi que ela quis dizer), temos que tomar cuidado para não pirar o cabeção, porque se não acaba interferindo drasticamente na nossa vida! Gera muita ansiedade, desanimo e pode fazer com que a gente abandone nossas ideias e criações! Me vem então a cabeça um texto da Marina Colasanti "Uma idéia toda azul". Eu não tenho experiência nenhuma sobre o assunto, mas essas são minhas reflexões atuais! Estou iniciando nas artes e tenho muito medo de fazer algo que prejudique algum artista que admiro e aprendo tanto com seu trabalho, o caminho que tenho achado é um que você mesmo aconselhou e eu peguei para mim: começar dos fundamentos do desenho! Então comecei da base mesmo, estudando o básico primeiro, história da arte e etc! Isso também na minha vida tem ligação direta com o que você disse sobre limpar as gavetas. Umas três semanas atras, antes de começar o curso de desenho, limpei meu cantinho criativo em casa e acho que foi isso mesmo que fiz, estava dizendo para mim mesma que não dá para correr, cada um tem seu tempo, seu processo, não dá para aprender tudo de uma vez, que escolhi algo em que quero focar nesse momento e aproveitar ao máximo! Desculpa o comentário gigantesco... é que amei o post e me trouxe várias divagações!rs Beijos e uma ótima semana!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Laiany! Não precisa se desculpar, imagina. Adoro os teus comentários, me motivam muito, de verdade! Eu é que te agradeço pelo carinho enorme com o meu trabalho. :) É interessante isso que vc falou de ficar bitolado (e a Clau é ótima!), porque era o que estava acontecendo comigo. Eu parei de criar e me sentia um lixo por não estudar o suficiente, enquanto ficava dando print e me absurdando com todos os plágios que via. Até que chegou um ponto que percebi que as pessoas que eram plagiadas não estavam se importando tanto quanto eu, e os plagiadores estavam vivendo suas vidas como se nada tivesse acontecido. Por isso, a partir de agora, eu me importo somente com quem se importa também. E não fico me culpando pelos erros dos outros, conheço a minha trajetória e todo o esforço diário que empenho em todos os trabalhos que realizo. E é muito legal ver alguém começando pelos fundamentos, porque hoje em dia a grande maioria dos ilustradores querem like, mas isso é passageiro, o que fica é o aprendizado e o profissionalismo. Parabéns por sempre buscar aprender, nunca perca isso, pois vai fazer toda a diferença no futuro, vc vai olhar para sua trajetória e se orgulhar de ter construído degrau por degrau sua carreira.
      Beijão! :**

      Excluir
    2. Obrigada Lidy! Muita gratidão e carinho por você e seu trabalho!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso do blog clicando aqui.

Subscribe