Vale a pena ter um blog artístico?

Por - 6.4.17


Essa é uma pergunta que tenho feito a mim mesma já faz algum tempo, principalmente depois de tantos casos de plágio, e de ver conteúdos cada vez mais massificados sobre arte e ilustração. Dos blogs que eu seguia em 2010, poucos sobreviveram. Outros, se transformaram em sites, canais, ou estão em hiato permanente. Apesar de abominar o discurso do "agora virou modinha", é difícil não concordar com ele: virou moda ilustrar, e tem gente se aproveitando disso das mais variadas maneiras, nem todas elas éticas com quem realmente vive disso.

Diante desse quadro da dor, bate aquela insegurança: vale a pena ter um blog artístico, ou divulgo meu trabalho nas redes sociais e parto direto para o portfólio? Eu vou contar como tem sido a minha experiência no assunto, mas já adianto que essa decisão só cabe a você.

Eu gosto muito de escrever, de colocar no papel ou na tela o que penso e sinto, é uma maneira de refletir sobre meu próprio fazer, tarefa que nem sempre é fácil ou confortável. Quando você escreve sobre seu processo criativo e se permite duvidar do próprio trabalho, está automaticamente saindo da zona de conforto e assumindo o risco da autocrítica. Por si só, já é algo corajoso, principalmente em tempos de corações e dedinhos pra cima em aprovação.  

Ter um registro em formato diário dessa trajetória ajuda a enxergar várias coisas, desde o nosso crescimento pessoal e profissional, até o quanto nossas opiniões mudam, como o meio nos influencia, o quanto nos sentíamos seguros de algo que não sabíamos direito ou, ainda, o quanto nossas parcerias de trabalho confiavam em nós, numa época em que nossa técnica ficava muito aquém do esperado. Tudo isso que falei veio à tona na última limpeza que fiz aqui no blog, descartando posts antigos de alguns anos atrás (faço isso frequentemente, até mesmo para liberar espaço na minha conta).

As redes sociais são ótimas para divulgar em tempo real e receber feedback imediato, mas também geram uma expectativa que não é saudável. Que atire a primeira pedra quem nunca deu refresh na foto recém postada, para ver quantas curtidas estava recebendo. Só que essa ansiedade atrapalha o andamento das coisas, pois o foco deixa de ser o trabalho em si para ser o comentário, a quantidade de likes, a repercussão. Já o blog proporciona um tempo de leitura e reflexão diferentes, dá uma visão mais madura (ou não) do artista. Existe também a questão do alcance, Facebook e Instagram estão cada vez piores em relação às atividades orgânicas, tudo precisa ser pago. 

Então, para quem gosta de escrever sobre seu trabalho e compartilhar suas experiências, blog e redes se complementam de maneira muito interessante. E por compartilhar, entendo buscar algo significativo para mostrar, dentro de um contexto, e não sair postando qualquer coisa, só pra parecer produtivo.

Sobre o portfólio (ou site e blog integrados), esse é um sonho antigo meu, mas ainda não consegui realizar por falta de grana, já que não é só o layout, tem servidor, domínio, manutenção, programador... Já passei pela experiência de pagar hospedagem, mas não ter como arcar com o restante e ficar na mão. Então busco alternativas tão boas quanto. Uma delas é o Behance, excelente portfólio com rede social integrada que, além de organizar tudo em álbuns e coleções, permite conhecer outros artistas e visualizar o melhor de seus trabalhos profissionais. Tenho cuidado de sempre atualizar com boas ilustras e descartar as mais antigas e as que não possuem um apelo interessante para aquele espaço. 

Já aqui no blog, criei uma tag específica para portfólio, que filtra somente os posts com ilustrações, nos quais conto sobre o processo, os materiais e métodos, e esse "por trás das câmeras" chama a atenção de muitos clientes. Fica tudo no menu principal, sem complicações. Por isso, embora seja um sonho, não sinto falta de ter um site para portfólio agora, pois consigo me organizar bem.

Agora, uma coisa que não pode, de jeito nenhum, é plagiar o coleguinha. Fala-se muito da apropriação de trabalhos artísticos, mas também se copia texto alheio. Eu passo por isso desde 2015, essa semana descobri um post, de uma pessoa que já plagiou não só a mim, como outras ilustradoras, falando de suas experiências, no mesmo tom do relato sobre minha evolução na aquarela, algo extremamente pessoal. Não é errado você se sentir inspirado pelo texto de alguém e oferecer a sua versão, mas custa dizer de onde veio a ideia? Quantas vezes já publiquei postagens nas quais falo "vi isso aqui no blog de fulana" ou "por indicação de beltrana"... É o meio natural das coisas.

Esse texto mesmo só saiu porque fiquei muito incomodada por mais uma vez a mesma pessoa ter copiado, e depois de ter lido esse post aqui, da Maki do Desancorando. Curiosamente, no meio da escrita, a Laiany também deixou um comentário neste post sobre a questão do site/portfólio e compartilhamento de ideias.

Resumindo: se você quer ter um blog artístico, tenha! Passe pela experiência de saber se dará certo ou não. Eu já fiz tanta coisa boba, mas a única maneira de saber se serviria para mim era tentando. Crie seu portfólio na plataforma que julgar melhor, compartilhe nas redes sociais que achar mais relevante, pergunte a outros artistas e pesquise sobre suas experiências. Você vai gastar muitas horas e algum dinheiro no processo (quando criei o site, tomei um susto com a cobrança integral do valor da hospedagem e fiquei à míngua), mas faz parte do pacote. Se acontecer de você acertar de primeira, ótimo! E sempre se lembre de uma coisa: tenha responsabilidade naquilo que compartilha por que, de uma maneira ou de outra, você vai ser referência para alguém, que vai entrar no seu espaço e confiar na sua palavra. E isso é de uma responsabilidade gigante, como já falei aqui.

Aproveito para dizer que troquei novamente o layout do blog, como uma forma de deixar tudo mais limpo e dar destaque para o conteúdo. As categorias foram reduzidas e agora está mais fácil achar um post de acordo com o assunto (deixei somente os mais relevantes). Esse template é do Beauty Templates, totalmente gratuito. A customização para português ficou por minha conta, tenho vários macetes legais para repassar, a quem interessar. ☺

Me acompanhe nas redes sociais para ver vários trabalhos em tempo real:
Facebook - Instagram - Twitter - Tumblr - Pinterest

Imagem: Lia Leslie, via Unsplash.

Veja também

2 Comentários

  1. Oiê, Lidy! Que interessante esse post... apesar de andar nuns tempos sem vontade de criar conteúdo proo blog, nunca tinha parado pra pensar se valia a pena tê-lo. Acho que essa história de 'criar conteúdo' é meio chata... e a gte as vezes vai entrando nesse esquema e perde a graça do blogar... mas na real ter um blog de arte foi mto importante pra mim por um certo período. Me ajudou a ter mais autocohecimento em especial sobre meu processo criativo o q é super útil. Agora, tb acho q a internet ta passando por uma fase chata q o fb e redes sociais do Mark Zuckerberg fingem ser a internet. Pensando racionalmente, acho q o ideal seria não cedermos... mas ao mesmo tempo dá uma canseira pensar em lutar por um espaço que parece não ser mais relevante. Uma das coisas q me fez tentar levar minhas ilustras mais pra fora da internet é q eu tinha um sentimento mto chato de estar falando e falando para ninguém ouvir. Confesso q ainda tenho vontade de estar na internet com meu trabalho e melhorar essa presença pra trocar mais (como antigamente) e até pra vender mais... mas realmente as vezes cansa. XD Enfim... espero que as coisas melhorem pra nós. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lila! Então, eu nem quis entrar nesse terreno pantanoso da "produção de conteúdo", porque acho que é justamente isso que tem feito tantas pessoas pararem de compartilhar suas ideias. Tudo precisa ser relevante, passar uma dica útil, ser compartilhado mil vezes, e não é bem assim, às vezes só queremos desabafar sobre o que não tá dando certo, ou o que deu certo.
      Eu já pirei muito em ter calendário editorial e dia pra postar, e perdeu totalmente a graça, embora muita gente diga que ajudei. Agora eu quero voltar às raízes, postar o que quero, quando quero, falar sobre meus processos, minhas leituras, aprofundar sobre meu trabalho.
      Também fico com essa sensação de que as pessoas acham que a internet se resume a Facebook e Instagram (e Stories por todos os lados), mas isso só limita a nossa experiência, tem tanta coisa legal por aí, gosto muito dos canais gringos da Audra Auclair, da Leilani Joy e da Jacquelin De Leon, elas são fieis a essa ideia de mostrar o processo criativo, aprendo muito.
      Mas tem tanta gente saturada disso tudo, que prefiro acreditar que uma grande mudança de comportamento está por vir, sabe? Já tem gente se ligando que essa indústria de produzir e produzir é uma máquina de moer carne que acaba com a criatividade. Acredito que aqueles tempos intimistas vão voltar. Quero muito acreditar nisso.
      Beijão e tudo de bom :**

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso e política de privacidade clicando aqui.