Resenha: fita crepe azul

22.4.16


Muitas pessoas têm dificuldades em utilizar a fita crepe comum para fixar seus trabalhos na hora da pintura. Algumas técnicas ajudam a tirar um pouco de cola, impedindo que o papel rasgue ao puxar. Passar a fita numa superfície áspera, várias vezes, é uma alternativa. 

Porém, o que pouca gente sabe, é que existe um tipo de fita crepe específico para trabalhos artísticos, manuais e reformas: é a maravilhosa fita azul! Quem acompanha canais artísticos gringos e programas de makeover do TLC sabe do que estou falando.

A fita crepe azul é especial para pintura e não deixa a tinta ou excesso de água vazar para a área protegida.
A fita crepe azul, de acordo com esta fabricante é especial, cujo tempo de aplicação pode prolongar-se por até 14 dias sem deixar colas ou resíduos. Aplicável em alumínio, madeira, tinta, látex, plásticos, vidros e outras superfícies. Mais resistente ao rasgamento, solventes, sol, chuva. Pode ser aplicada em ambientes internos e externos.

Na prática, a azulzinha além de ser fácil de colar e descolar, não rasga o papel. Caso ele seja muito sensível, as marcas deixadas são bem menos evidentes. Ela também não vaza água e tinta para a borda que está colada. Eu, por exemplo, gosto de deixar essa margem como uma espécie de moldura e, quando a tinta passa, preciso cortar ou maquiar com caneta branca. É bem chato.

O papel da imagem é para aquarela, 185g e, geralmente, rasga. Repare que, apesar de retirar um pouco de fibra, a fita azul não danifica a folha, e também não deixa resquício de vazamento.
Estado do papel após retirada total da fita azul.
O preço médio desse produto é de R$ 13, e pode ser encontrada em ferragens e lojas de material artístico e de construção. Apesar de ser muito mais cara que uma fita crepe comum, recomendo o seu uso por não machucar tanto o papel, principalmente o de aquarela, e também por ser larga o suficiente para cortar ao meio e economizar na aplicação. Dependendo do caso, você também pode reutilizá-la várias vezes, basta deixar colada na prancheta ou em qualquer superfície lisa.

*Este post não foi patrocinado por loja ou empresa.

Veja também

11 Comentários

  1. Eu sempre achei que era só incompetência minha! Mesmo grudando a fita crepe em outros lugares antes de usar no papel e tirando com cuidado depois, comigo é mais certo o papel rasgar do que não rasgar -.- Não conhecia essa fita azul! Vou procurar para testar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu nunca me acertei com a fita crepe normal. Achei que não tinha essa azul pra vender no Brasil, ficava vendo canais de artistas gringos e maquinava um jeito de comprar no AliExpress hahahaha. Mas tem em loja de material de construção/ferragem e em papelarias que vendem material artístico e técnico :D

      Excluir
  2. Adivinhou pensamento...será que encontro na minha micro cidade?? kkkk

    Dê uma passada no meu blog!
    artistadefimdesemana.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem fácil encontrar pela internet também, em lojas como a Koralle e a Leroy Merlin. :)

      Excluir
  3. Eu sempre via no armazém onde compro as coisas que preciso para trabalhar essas fitas (tem também a verde), mas eu não sabia a diferença. Adorei saber! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só, a verde eu não conheço, vou dar uma pesquisada para que serve.
      Bjs

      Excluir
  4. Não tenho costume de usar fita mais por preguiça, mas quando usei fita crepe deu errado tb... Quem sabe não testo essa pra ver se a borda dos meus desenhos não fica melhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda uso a fita crepe comum porque tenho um rolo, mas a diferença com esta aqui é sensível. Ela até pode machucar o papel, tirar algumas fibras, mas nunca rasgou.

      Excluir
  5. Oi Lidy! Não sei se eu sou muito incompetente ou se não acredito nessa fita crepe. Já tive experiência com ela e mesmo assim não me sinto segura na hora de retirá-la. O Davi Calil ensina uma técnica muito boa para retirar qualquer fita sem rasgar o papel, ela consiste em deixar os lados em paralelo, formando um triângulo com a sobreposição da parte retirada e a parte que está ainda grudada (difícil de explicar em palavras). Eu não sei que bruxaria é essa, mas sempre me dei bem com ela ;) Apesar das minhas frustrações esse post é muito bom porque até o ano passado eu não sabia qual era a real utilidade dessa fita crepe! Gosto muito dos seus posts Lidy! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca, eu nunca experimentei esse método da fita, mas desde que comecei a usar essa azul, não tive problemas com a retirada dela. Talvez, com o tempo, a gente vá pegando umas manhas, tanto da fita quanto dos diferentes tipos de papel, o que nos ajuda a entender melhor o material que utilizamos :)
      beijos!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso do blog clicando aqui.

Subscribe