abrir menu

Inktober 2018 🎃 Semana 04

Esta é a última produção do meu Inktober 2018. Esse desafio foi permeado por sentimentos conflitantes, por ter sido feito durante o per...

31/10/2018


Esta é a última produção do meu Inktober 2018. Esse desafio foi permeado por sentimentos conflitantes, por ter sido feito durante o período eleitoral. Foi impossível não me sentir afetada e direcionar minhas angústias para o momento da produção. E essa ilustração realmente ilustra tudo o que estou sentindo. Mantendo a temática proposta, essa é a Fada do Renascimento 🌹.




O processo de criação segue o de sempre, só que desta vez eu esqueci completamente de marcar os valores antes de começar a pintura pra valer. Tive que fazer algumas camadas a mais de marrom e siena para dar contraste suficiente. Uma dica para acertar os valores é tirar uma foto em preto e branco: se ficar tudo num único tom de cinza, é porque está faltando contraste por valor.


Os detalhes foram feitos com as já tradicionais multiliner, caneta dourada e algum reforço com lápis de cor. O resultado final ficou assim:


Materiais utilizados


  • Papel Arches 300g grana fina;
  • Aquarelas Maimeri Venezia e Van Gogh;
  • Pinceis Keramik linha 311;
  • Caneta Posca branca e dourada;
  • Lápis grafite Staedtler Mars Lumograph 2B.


Algumas semanas atrás fiz uma ilustração representando o Memento Mori que, na forma de uma rosa, lembra a morte e a brevidade da vida. A Fada do Renascimento também traz esse simbolismo, mas vai um pouco além, pois toda morte também significa renascimento, em outra forma, de outra maneira. Nada mais contundente para o dia de hoje e para o momento que vivemos.

Não é fácil curar cicatrizes, mas da dor pode nascer a beleza, mesmo que breve, e dela brotar a vontade de lutar por um futuro melhor. Vamos limpar nossas feridas, nos fortalecer e seguir adiante. Ninguém solta a mão de ninguém. Onde nos querem cinzas, seremos terra fértil.

Obrigada por acompanhar meu Inktober, todas as ilustrações estão à venda no formato pôster na minha loja virtual. A quem também participou do desafio (concluindo ou não) deixo um abraço apertado e parabéns pela vontade de continuar produzindo arte. ❤

Conheça meu portfólio profissional
21/10/2018


E a penúltima semana de Inktober já está entre nós! Este tem sido, sem dúvidas, o desafio que mais estou curtindo fazer, apesar de todos os contratempos (não poder desenhar todos os dias; tomar shadownban do Instagram e ter que pagar para impulsionar publicação; ter um curto espaço de tempo para produzir cada peça), pois estou me dedicando 100% e colocando minha alma nesse projeto. São meus melhores desenhos, minha melhor paleta, minhas melhores decisões. Resultado de ANOS estudando e tentando imprimir identidade ao meu trabalho. E a terceira ilustra é a Fada Bonsai 🌳.




Seguindo o mesmo padrão das ilustrações anteriores, comecei com o risco inicial, depois de muito rascunho e estudo das proporções. Coloquei a figura sentada num tronco de árvore e dei ao cabelo o movimento similar à copa do Ficus. Esse tronco, em especial, foi uma das coisas que mais gostei de pintar, até agora, pois consegui um tom de realismo que me deixou bastante satisfeita.


Também seguindo o padrão já adotado anteriormente, adicionei detalhes dourados com caneta gel, e reforcei alguns pontos com lápis de cor também. O resultado final ficou assim:

Materiais utilizados


  • Papel Arches 300g grana fina;
  • Aquarelas Maimeri Venezia e Van Gogh;
  • Pinceis Keramik linha 311;
  • Caneta Posca branca e dourada;
  • Lápis grafite Staedtler Mars Lumograph 2B.


Essas fadas plus size representam um ponto de mudança na minha arte, no qual finalmente consegui agregar elementos que há muitos anos sinto falta e tento corrigir. Ainda é um começo para algo maior, mas já me deixa com o coração aquecido por, em meio ao caos, conseguir dar vida a um sonho antigo.

Fiz uma mudança no calendário e a última ilustração não será publicada no domingo, dia 28, mas sim no dia 31 de outubro, para fechar de vez o mês e o Halloween. É uma data significativa para mim e achei mais coerente também.

Para acompanhar os petisquinhos da última fada, fique de olho no Instagram, curta e compartilhe para me ajudar a dar visibilidade para este projeto.

Conheça meu portfólio profissional
14/10/2018


A segunda produção do Lidytober está no ar! Dessa vez, aproveitei para participar também do desafio Girls Artist Gang de outubro, cujo tema é abóbora. Nasceu, assim, a Fada Abóbora 🎃




O processo de criação é sempre o mesmo, e já deu para perceber que escolhi uma paleta reduzida para todos os trabalhos, com cores outonais, que remetem ao Halloween. Coloquei um pouco de médium shine e guache dourado nas abóboras, mas o efeito se perde na digitalização. Na imagem abaixo é possível ver um pouco do brilho. Fiquei bem feliz com a textura das pedras.


O resultado final ficou assim:


Materiais utilizados


  • Papel Arches 300g grana fina;
  • Aquarelas Maimeri Venezia e Van Gogh;
  • Pinceis Keramik linha 311;
  • Caneta Posca branca e dourada;
  • Lápis grafite Staedtler Mars Lumograph 2B.


No próximo domingo teremos a terceira ilustração do Lidytober. Lá no Instagram solto os petisquinhos do que virá, ao longo da semana.

Conheça meu portfólio profissional
07/10/2018


A primeira produção para o Lidytober, o meu Inktober, já está no ar! E foi, certamente, um dos trabalhos que mais amei fazer na vida. Esse esboço (assim como os das próximas semanas) foi feito ano passado. Uma ideia muito amada, que deixei engavetada até ter tudo o que precisava para executá-la como imaginei, desde os materiais até definição da paleta de cores e tempo de execução. E foi assim que nasceu a Fada Cogumelo 🍄. Um pequeno ser da floresta que vive entre a grama verde e as plantinhas, livre e feliz.


Comecei da mesma maneira de sempre, com o esboço a lápis sobre o papel. Escolhi o Arches grana fina pela textura e capacidade de absorção da tinta. Esse papel é, sem dúvidas, o melhor para aquarela que já usei, e seu preço salgado é a única coisa que me impede de utilizá-lo em todos os trabalhos. Os valores foram marcados com cinza payne, para depois receber as outras camadas de cor.


Para os cogumelos, escolhi trabalhar com laranja, alizarim e ocre, para deixá-los bem com aquela cara de papel de carta dos anos 90, algo mais próximo da fantasia do que da realidade. Coloquei toques de médium shine misturado ao laranja, mas o efeito é tão sutil que o scanner não pegou, infelizmente. A grama é uma grande aguada com pequenos pontos para simular os tufos.


Depois de finalizar a pintura, optei por não fazer retoques com lápis de cor, somente um pouco no rosto e algumas partes do corpo da fada. Nem multiliner utilizei, apenas fiz um reforço onde o contorno do lápis falhou. O destaque ficou mesmo para a tinta. As bolinhas brancas e douradas foram feitas com caneta posca, também como de costume.


O resultado final ficou assim:


Materiais utilizados


  • Papel Arches 300g grana fina;
  • Aquarelas Maimeri Venezia e Van Gogh;
  • Pinceis Keramik linha 311;
  • Caneta Posca branca e dourada;
  • Lápis grafite Staedtler Mars Lumograph 2B.


Gostei muito de como a textura do papel conversou com o restante da pintura, embora o meu scanner esteja me decepcionando e eu tenha que fazer um trabalho de edição que era desnecessário com o equipamento antigo. Penso em comprar somente um scanner de mesa, para evitar a fadiga. Quem tiver indicações, já pode me passar, por favor!

No próximo domingo, além do grande evento Meu Aniversário, teremos a segunda ilustração do Lidytober. Lá no Instagram solto os petisquinhos do que virá, ao longo da semana.

Conheça meu portfólio profissional
Me acompanhe nas redes sociais
28/09/2018


Apesar de sempre tentar compreender os códigos que fazem parte do meu processo criativo e manter um pequeno acervo de livros que me permitem aprofundar questões relativas ao sagrado feminino, eu ainda não havia parado para estudar símbolos e seus significados. E resolvi começar pelo ótimo (e ricamente ilustrado) A Linguagem dos Símbolos, de David Fontana. A leitura tem sido fácil e muito rica, principalmente nessa época de Inktober, na qual me aproximo de temais mais mórbidos.

Falando em Inktober: vou participar do desafio deste ano, porém, seguindo o modelo que adotei para o MerMay: uma ilustração por semana. Contei sobre os motivos ao final deste post. A primeira ilustra sai no dia 07.

Memento Mori foi uma espécie de "aquecimento" para o Inktober, e serviu para testar alguns materiais novos que comprei, como a brush pen da Pentel, que realmente é aquele sonho de caneta que eu imaginava hehe.


Utilizei o papel Bristol para trabalhar com lápis grafite sem interferência de alguma textura indesejada. Desde que fiz essa ilustra, lá em 2016, fiquei apaixonada por tranças espinha de peixe e, embora seja um pouco demorado para finalizar, o resultado fica tão bonito, que vale o esforço.



Utilizei a brush pen na roupa, ela é extremamente pigmentada e seca rápido. Os detalhes em dourado foram acrescentados posteriormente, inclusive a rosa que, originalmente, seria feita a lápis. Embora eu tenha parado essa ilustra no meio por conta de uma mudança, todo o processo foi muito tranquilo, pois eu sabia exatamente onde queria chegar. É reconfortante saber que estou conseguindo conciliar, da melhor maneira possível, a vida de professora com a de ilustradora.


Materiais utilizados

  • Papel Bristol Canson;
  • Lápis Lyra 2B e 4B;
  • Esfuminho Derwent;
  • Multiliner Staedtler;
  • Pentel Brush Pen;
  • Caneta gel dourada Pentel.


Uma figura comum na Renascença e no Barroco era o memento mori - literalmente, "lembre-se de morrer" em latim -, associado à brevidade da vida e à decadência inevitável da beleza. A rosa, símbolo dessa expressão, desabrocha rapidamente e dura pouco tempo até suas pétalas caírem. (A Linguagem dos Símbolos, p. 93)

Outros detalhes que estão presentes nessa ilustração são o contraste de preto e dourado que, para mim, representa ao mesmo tempo solenidade e decadência; as joias, que significam riqueza no plano material mas não serão levadas para o plano espiritual e a fechadura localizada no terceiro olho, que pode ser tanto a vontade de expandir o conhecimento, quanto o fechar-se em si. Essas são interpretações bastante pessoais, que acrescentei à ideia inicial.


A partir da semana que vem começo as ilustrações para o Inktober, que serão postadas sempre aos domingos (07, 14, 21 e 28). Mas será possível acompanhar alguns petiscos lá no Instagram.

Conheça meu portfólio profissional
Me acompanhe nas redes sociais