Moon Child

25/10/15


A ilustra que vou mostrar hoje tem sido gestada há bastante tempo e não foi parar no papel sem uma boa dose de erros, sofrimento e recomeços. Claro que eu prefiro quando as coisas acontecem naturalmente e sem conflitos, mas nem sempre é assim com nosso processo criativo.

Quem me acompanha no Snapchat viu o desabafo em tempo real e, logo em seguida, fiz um pequeno vlog para mostrar que tatu do bem. Acontece que eu fiquei um pouco ansiosa com algumas coisas: primeiro, o Inktober (querendo ou não) me toma bastante tempo e, às vezes, fico sem disposição para adiantar os trabalhos; segundo, estou com outro projeto em andamento com uma amiga, que também requer atenção; terceiro e mais urgente: quero colocar meu site no ar em breve. Sim! Comprei outro domínio e pretendo montar um portfólio profissional, do jeito que sempre idealizei. Isto posto, imagine que minha cabeça estava um inferno - e eu queria terminar este trabalho a qualquer custo.

Não deu outra: comecei a trabalhar com aquarela e não consegui fazer as manchas do efeito galáxia. Somado ao fato de que eu já havia colocado uma ilustra no lixo, dias atrás, pelo mesmo motivo - falta de prática com aquarela - fiquei bastante desapontada por frequentemente perder tempo e material com algo que não dá certo. Mas então me acalmei e parti para a ação:


O rascunho dessa ilustra tinha parado na minha pasta do esquecimento, onde guardo todos os desenhos que desisti de fazer, ou que entrarão para o banco de ideias quando a falta de inspiração bater. Usei uma foto linda como referência unicamente para a pose (a expressão do rosto, cabelos, pés e mãos foram criadas por mim), mas como já faz muito tempo, não a encontrei nem nos meus álbuns do Pinterest. No vlog ao final do post explico em detalhes as direções que tomei.


A imagem de referência não mostrava os pés e as mãos da modelo, então o jeito foi improvisar: tirei fotos dos meus próprios membros, e confesso que fiquei tão feliz em ver meu pé gordinho eternizado nos anais da internet hahahaha. Também me senti desafiada a mostrar uma figura de corpo inteiro, pois prefiro os retratos.


Materiais utilizados:
- papel Canson 140g;
- lápis grafite Conté 6B, Sakura 5B e Staedtler 4B;
- lápis de cor Polycolor;
- esfuminho;
- multiliner Staedtler para os detalhes.
O resultado final:

Detalhes:


A partir de agora, essa ilustração vai aparecer tanto aqui no blog quanto em vários outros lugares, como uma de minhas imagens oficiais. 

Amei essa foto!
Vocês já notaram que mudei a header do blog (inclusive algumas pessoas já me parabenizaram e fiquei muito feliz que tenham gostado), bem como as redes sociais e, tanto no vídeo quanto no texto, mencionei que estou preparando meu site. Assim que tudo estiver terminado, farei um post especial contando quais foram as minhas inspirações e o significado de cada uma dessas ilustrações no meu momento atual. 

Já adianto que, assim como as caveiras e os faunos, a lua é uma constante no meu trabalho, e decidi que era hora de homenageá-la. Seja através da força de suas fases, ou da figura da deusa, que nos observa acima das nuvens.