2 livros de mulheres poderosas para inspirar ūüďö

19/06/2017


Sinto falta de compartilhar as minhas leituras, principalmente se elas podem acrescentar algo significativo para quem me visita, tanto quanto acrescentaram para mim. Nem sempre o livro em quest√£o precisa ser sobre arte ou ilustra√ß√£o. √Äs vezes s√≥ queremos tomar contato com uma hist√≥ria inspiradora, que nos conforte ou seja uma esp√©cie de porto seguro quando passamos por um momento delicado. 

As duas autoras que mostrarei a seguir s√£o mulheres poderosas, feministas, reconhecidas tanto pelo seu trabalho no mundo art√≠stico, quanto pelo ativismo em rela√ß√£o aos direitos de outras mulheres e demais minorias: Amanda Palmer e Shonda Rhimes. A primeira √© musicista, artista perform√°tica e autora do projeto de m√ļsica mais bem sucedido da plataforma de financiamento coletivo Kickstarter. A segunda √© roteirista de s√©ries aclamadas pelo p√ļblico e pela cr√≠tica, como Grey's Anatomy e Scandal.

As obras de ambas me tocaram no sentido de que eu preciso confiar mais - em mim e nos outros - e me abrir mais. E essas s√£o as maiores dificuldades que enfrento na vida, pois √© muito f√°cil me recolher numa concha, principalmente se algo ruim acontece. Amanda com seu jeito apaixonado de se entregar ao p√ļblico e trocar experi√™ncias, e Shonda aceitando todos os convites e desafios que a paralisavam. S√£o duas narrativas diferentes, duas experi√™ncias de aceita√ß√£o guiadas por motivos distintos, mas permeadas pelo mesmo amor e vontade de tomar as r√©deas da pr√≥pria vida.


ūüďö A arte de pedir, Amanda Palmer: o livro √© uma biografia de Amanda, desde os tempos em que trabalhava como est√°tua viva na rua, sua ascens√£o com a banda The Dresden Dolls, o rompimento com a gravadora e sua insatisfa√ß√£o com o mercado fonogr√°fico, at√© o momento em que decide lan√ßar seu pr√≥ximo √°lbum via financiamento coletivo.

Toda a narrativa √© permeada pela confian√ßa que a artista sempre depositou em seu p√ļblico, desde vender CDs na sa√≠da dos shows, dormir na casa dos f√£s e gerenciar o mailing da banda pessoalmente. A rede de contatos n√£o s√≥ possibilitou reconhecimento, como tamb√©m uniu todos os envolvidos num grande processo colaborativo, e a√≠ reside o grande ensinamento do livro: confiar para trocar e crescer junto, n√£o para ser puramente favorecido. No mundo em que vivemos hoje, com tantos interesses em conflito mas, ao mesmo tempo, com tantas iniciativas de desenvolvimento sustent√°vel, √© maravilhoso ler o relato de quem seguiu esse caminho por puro feeling, por acreditar que podemos ser pessoas melhores se criarmos la√ßos.

Destaque também para o relacionamento de Amanda com o escritor Neil Gaiman, de quem sou fã, e também para seu amigo Anthony, impossível não se apaixonar por ambos e desejar tomar um chá com eles e ouvir suas histórias.

Anular a possibilidade de empatia √© anular a possibilidade de compreens√£o. Anular a possibilidade de empatia √© tamb√©m anular a possibilidade de fazer arte. Teatro, literatura, hist√≥rias de horror, hist√≥rias de amor. √Č isso o que a arte faz. Boa ou ruim, ela imagina o interior, o cora√ß√£o do outro, esteja esse cora√ß√£o cheio de luz ou aprisionado pelas trevas. - Amanda Palmer


ūüďö O ano em que disse sim, Shonda Rhimes: confesso que n√£o acompanho as s√©ries da Shondaland, quem me conhece sabe que tenho problemas com s√©ries, acho dif√≠cil maratonar, mesmo com Netflix. Mas depois que assisti a este v√≠deo da Stephanie Noelle, me interessei muito pelo livro e pela figura da Shonda, e corri atr√°s. Pensei que encontraria mais um livro de autoajuda escrito por uma celebridade, mas me enganei para o bem: a narrativa √© super gostosa e mostra como uma mulher t√£o poderosa estava vendo sua vida passar, por medo de se arriscar.

A partir de uma conversa com sua irm√£ mais velha, Shonda percebe que nunca diz sim para convites, palestras, participa√ß√Ķes em programas, at√© mesmo festas. Sua vida era trabalho/casa, e o medo de se expor a paralisava. Ent√£o ela decide que 2014 seria seu ano do sim, e passa a aceitar todos os desafios que se apresentam, desde gravar um especial para a TV, at√© fazer o discurso de formatura numa universidade. Aos poucos, a autora lida com a ansiedade e inseguran√ßa, e passa a aceitar as coisas de maneira mais natural, a se abrir para as pessoas e situa√ß√Ķes. Claro que, nesta jornada, muitas coisas v√£o ficando para tr√°s, como um relacionamento amoroso e uma amizade por interesse, que s√≥ a prejudicava.

Percebi uma verdade muito simples: que o sucesso, a fama e a realiza√ß√£o de todos os meus sonhos n√£o me consertariam ou melhorariam. N√£o era uma po√ß√£o instant√Ęnea para crescimento pessoal. A realiza√ß√£o de todos os meus sonhos apenas parecia ampliar quaisquer qualidades que eu j√° possu√≠a. - Shonda Rhimes


J√° contei aqui sobre outro livro inspirador, Grande Magia, de Elizabeth Gilbert. Se voc√™ est√° passando por um bloqueio criativo, d√™ uma olhada no meu post, pois tenho certeza de que encontrar√° alguns ensinamentos preciosos. Na categoria livros √© poss√≠vel ver outras obras que j√° apareceram por aqui, em breve vou falar sobre alguns t√≠tulos que est√£o me ajudando a estudar anatomia. 

Me acompanhe nas redes sociais: Facebook - Instagram - Twitter - Tumblr - Pinterest

Coment√°rios

  1. Estou na metade de A Arte de Pedir, e é muita informação valiosa *o* ela me inspira muito!
    Da Shonda ainda n√£o peguei pra ler, mas est√° na minha lista!

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Arte de Pedir √© maravilhoso, a experi√™ncia da Amanda √© muito real, ela n√£o romantizou o viver de arte e ter que contar com o apoio do p√ļblico. E o da Shonda n√£o fica atr√°s, voc√™ vai gostar muito!

      Beijos :*

      Excluir

Muito obrigada pela visita e por deixar o seu recado. Por favor, leve em consideração a data do post, pois minha opinião pode ter mudado com o tempo, e alguns links podem estar quebrados. Conheça os termos de uso do blog antes de comentar.