"Trabalhe com o que te faz feliz"

Por - 25.3.14

Imagem: Fonte
Semana passada vi um post da Zilah, do blog Dona das Coisinhas, a respeito da responsabilidade de falar sobre felicidade, em tempos de "largue tudo e vá viver do que te faz feliz". O texto dela está super completo, com links para outras reflexões tão boas quanto, o que me fez pensar seriamente nesse discurso altamente propagado, principalmente no Facebook, do "trabalhe com o que te faz feliz".

Diferentemente do que muitas pessoas acham, trabalhar com o que te faz feliz não te dá menos trabalho. As responsabilidades são as mesmas. Eu, por exemplo, me divido entre a Universidade durante a semana e, nos tempos livres, faço meus frilas, cuido das lojas, cursos e exposições. Trabalhar com o que gosto também exige uma rotina, que pode se tornar cansativa. Alguns clientes não são abertos ao diálogo, apenas querem que eu execute suas ideias. Nesse sentido, gostar de desenhar apenas suaviza a condição de ter que fazer um trabalho problemático.

O que me deixa realmente incomodada é a avalanche de discursos que propagam o "larguei tudo e fui ser feliz". Na minha modesta opinião, se você não consegue ser feliz no dia-a-dia, não é deixando tudo para trás que conseguirá superar seus problemas. A felicidade não está atrelada a um lugar especifico, a um emprego ou salário, mas no quanto você coloca de si mesmo no que se propõe a fazer.

Também me incomoda o fato da felicidade ter sido transformada num status: não basta alcançá-la, é preciso esfregar na cara de todos que você é feliz e invejado por isso. Pensamento mais equivocado que este, impossível. Além do mais, não é sua condição financeira, facilidade para viajar ou abrir o próprio negócio que garantirá sua felicidade. Começar retribuindo o bom dia que o motorista do ônibus te dá, às oito da manhã, já é um passo para uma melhor qualidade de vida.

Para fechar esta reflexão: não pense que só alguns escolhidos merecem a felicidade. Até mesmo por que, o que é essa felicidade ideal mesmo? É ter o carro do ano? Passar no concurso público? A casa própria? A foto mais curtida? Cada um sabe de si. Pare de pensar que o outro não merece o que conquistou pois, se ele chegou lá, é porque batalhou para isso. Não o transforme num parâmetro, ou num espelho. Deixe de seguir a timeline alheia e faça da sua rotina um meio de transformar a sua vida real na vida dos seus sonhos.

Abraços,
Lidiane :-)

Veja também

2 Comentários

  1. Faço das tuas minhas palavras, Lidy. Perfeito, perfeito, perfeito nos mínimos detalhes. :* E continuemos com nossas batalha/artes diárias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida!
      Eu acho esse discurso de felicidade muito fácil de ser comprado, principalmente por quem está insatisfeito com seu trabalho, por isso é bom reforçar que a felicidade é um caminho construído por nós, não um ponto de chegada baseado na experiência do outro :)

      Beijokas! :*

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário. Saiba mais sobre os termos de uso deste espaço clicando aqui.