Minhas inspirações - novembro

Por - 4.11.15


Esse mês não vou trazer artistas para o minhas inspirações, pois quero compartilhar a experiência de visitação ao Templo Budista Chagdud Gonpa Khadro Ling, situado na cidade de Três Coroas/ RS. Aproveitei o feriado prolongado para conhecer a Serra Gaúcha, e o templo budista foi o ponto alto (literalmente!) do passeio.

O que mais chamou minha atenção, além da natureza e da imponência das construções, foi poder ver de perto pinturas e esculturas utilizando as técnicas de representação orientais e todo o paisagismo em torno dos prédios. As cores dos elementos, desde os afrescos até as flores, fazem qualquer artista pirar. Tirei muitas fotos não só para ficar de recordação, mas para usar como referência em futuros trabalhos.


No dia da visitação o tempo estava fechado, com um nevoeiro forte pairando sobre o local. Por isso, algumas imagens ficaram granuladas. Mesmo assim, é possível ver a exuberância e perfeccionismo dos entalhes na madeira, da atenção aos detalhes e de como a natureza é parte integrante e fundamental do todo. Nenhuma das imagens foi manipulada digitalmente, apenas mexi no contraste pois, como já disse, a névoa atrapalhou um pouco a visão.




Dentro do prédio principal é proibido tirar fotos e, em alguns outros lugares, o acesso só é permitido aos moradores do templo. Fiquei fascinada com o emprego das cores, tive a sensação de ver uma aula de pintura na prática, através das mãos e do sentimento de pessoas que não se importam com as regras da academia, mas em transmitir o belo e a harmonia da natureza da melhor maneira possível.


O templo também é habitado por vários animais. Os cachorros e gatos convivem pacificamente e não sentem medo dos visitantes, deixam fazer carinho e retribuem dando lambidas e pulando no colo, além de posarem para as fotos, como essa fofura felina.



Essas imagens foram esculpidas à mão pelo lama responsável pela construção do templo, Chagdug Tulku Rinpoche. No vídeo que está linkado lá no início do post, dá para ver detalhes da construção e a importância de cada uma dessas representações dentro do budismo.




Os símbolos auspiciosos tibetanos estão presentes em vários lugares e conferem proteção, amor, sucesso, abundância, superação de obstáculos e sabedoria, condições necessárias para uma existência cheia de alegria e plenitude. 




Mesmo com o dia nublado, a beleza do lugar salta aos olhos. Fiquei com muita vontade de retornar em outra ocasião, de preferência com sol, para rever todos esses elementos com um novo olhar.


Por fim, as cores dessa janela me deixaram fascinada. Serviram para me lembrar que não preciso ter medo de colorir uma ilustração, que não posso temer o inesperado pois não sei o que os outros vão achar. O que importa é o meu sentimento de bem estar quando finalizo um trabalho, o resto é consequência.

Essa experiência no templo e os dias que passei afastada da internet contribuíram ainda mais para o que já venho fazendo há um tempo, que é repensar minha presença na rede. Não tenho me sentido satisfeita com algumas coisas, talvez escreva um post sobre isso, e talvez seja a hora de dar uma desacelerada. Sobre isso, o blog Girls With Style publicou um post muito legal e que tem tudo a ver com meu atual estado de espírito, dê uma conferida aqui.

Veja também

6 Comentários

  1. Lidiane, que lugar lindo é este? Ainda estou tentando acreditar que é Brasil. E essa neblina?

    Isso sim é inspiração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo mesmo, Mateus. Uma inspiração para a vida toda. Esqueci de comentar que a visitação é gratuita, só é difícil chegar lá :D

      Excluir
    2. Pela quantidade de neblina, dá para ver que é bem alto. Condicionamento físico deve ser imprescindível para chegar no templo.

      Pelo que entendi os "monges" – se é que podem ser chamados assim – também não podem aparecer. Mas seria legal poder fazer uma foto com eles.

      Fiquei impressionado com este pedaço tão rico de cultura oriental que pode ser encontrado aqui no Brasil.

      Obrigado por compartilhar isso conosco.

      Excluir
    3. Sim, é no local mais alto da cidade de Três Coroas, na serra. Com as últimas chuvas na região e deslizamentos, ficou muito difícil chegar ao templo, tem um atoleiro quase na entrada. Acredito que algumas pessoas vão a pé, mas a maioria se desloca de carro ou ônibus.

      Existe uma Lama responsável pelo local, Chagdud Khadro, e o templo tem em torno de 50 moradores fixos, que são praticantes do budismo tibetano. Como no prédio principal é proibido tirar fotos e em outros é proibida a entrada, não é possível fazer fotos deles.

      É um local muito bonito, vale a visita. Espero voltar mais vezes :)

      Excluir
  2. Já vi este tempo no blog de alguém... e ele é realmente maravilhoso! Adoro visitar esses lugares =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo mesmo, vontade de ficar lá pra sempre! <3

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário. Saiba mais sobre os termos de uso deste espaço clicando aqui.