abrir menu
27/11/2017

Asrai ✨


Essa semana eu quis testar os lápis que ganhei de aniversário e ainda não tinha usado, da nova linha  EcoLápis SuperSoft da Faber-Castell. Tem muitos ilustradores fazendo resenha desse produto, mas esse não é o meu intuito, só quero falar sobre algumas impressões que tive na hora de colorir. 

O primeiro ponto que precisa ficar claro: é um lápis escolar. Quem está atrás de algo profissional, ainda precisa recorrer a outras linhas, da própria Faber ou da marca de sua preferência. É um produto bonito, com qualidade acima da média para a sua categoria mas, ainda assim, escolar.
A promessa desse lápis é entregar mais maciez na cobertura, inclusive em suportes escuros, e ele cumpre muito bem essa função. Talvez o que eu mais tenha gostado foi da paleta de cores neutralizada, muito diferente de tudo que já vi para o consumidor "comum". Geralmente as marcas se preocupam em fazer estojos com essa composição para artistas. Então, esse é um ponto muito positivo. O preço fica na casa de R$ 49,90 (está na média) e pode ser encontrado facilmente em qualquer papelaria. Mas vamos às minhas impressões:



O cabelo da figura foi feito com aquarela e álcool e a auréola com guache dourado. Deixei para trabalhar com o lápis na pele e também para finalizar detalhes do cabelo próximos ao rosto. É possível perceber que neste papel (Canson 200g) o lápis marcou bastante a textura, mas as cores misturaram muito bem entre si e deixaram um ar iluminado bem interessante. Acredito que num papel mais liso, como o layout, ele funcione ainda melhor. Não senti tanta diferença quanto à entrega de cor em relação ao EcoLápis comum, mas em matéria de maciez, o SuperSoft realmente cumpre seu propósito. Foi um teste bem tímido, só para sentir o que o material me daria, mas ainda quero fazer outros experimentos, principalmente com relação à pele negra.


Materiais utilizados

- Papel Canson 200g;
- Materiais para pintura deste post;
- Guache dourado Talens;
- EcoLápis SuperSoft Faber-Castell.


Asrai é uma pequena fada da água, presente nas mitologias inglesa e escocesa. As asrais são criaturas belas e gentis, que derretem assim que o sol nasce, mas aparecem novamente a cada lua cheia. Sempre são retratadas como mulheres de longos cabelos verdes, pele translúcida e pés palmados.

Eu não tinha este ser em mente quando finalizei o trabalho, mas ao pesquisar no livro Seres Fantásticos, achei que a representação de uma asrai caía perfeitamente com a figura ilustrada. Sei que não é meu melhor trabalho, mas fica pelo aprendizado que proporcionou.

Conheça meu Portfólio profissional
Me acompanhe nas Redes Sociais

6 comentários:

  1. Amada as fadas conversam com a gente o tempo todo. Pode apostar que enquanto você desenhava ela estava sussurrando no seu ouvido sobre como gostaria de se apresentar ao mundo pelas suas mãos. Acredite nelas, acenda uma vela e faça um pedido e terá o que deseja. Linda arte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bonitinho *---*
      Que assim seja! _/|\_

      Excluir
  2. Lidy, a pintura ficou linda. Os lápis são muito bonitos e é engraçado, você não é a primeira pessoa que testou eles e disse que não são exatamente, profissionais. Testei uma linha da Faber há poucos dias e em certo grau, me decepcionei. Sempre imaginei que fossem bem macios, inclusive pelo preço e eles são bem duros. Agora, estou com mais um material que não me desperta vontade de fazer resenha à disposição. É tão chato isso.

    Faça outros testes com esses lápis, vou ficar aguardando.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mateus! Realmente esse lápis não é profissional, é um escolar acima da média, e fiquei bastante preocupada com a estratégia de marketing adotada pela Faber, que pode induzir o consumidor a achar que é um produto técnico, assim como as linhas Albrecht Durer e Polychromos.
      O que chamou minha atenção foi a escolha da paleta de cores, essa sim bem diferente do que estamos acostumados a ter no mercado nessa categoria, com tons suaves e neutralizados. De resto, é lápis escolar.
      Mas, ainda assim, Faber-Castell continua tendo a melhor relação custo/benefício para quem não pode investir em lápis profissional e de marcas gringas.
      Abração!

      Excluir
  3. Eu adorei! Amei as cores que você escolheu e como o azul e verde se misturaram de maneira tão fluida, gostoso de se olhar! Também gostei do efeito que ficou devido ao papel ser granulado. Achei tão interessante os olhos de cores diferentes e a sombra do rosto combinando com eles. Fiquei fascinada pelo jogo de cores dessa ilustra. Beijos Lidy!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lay! Essa ilustra foi toda construída "no escuro", eu realmente não sabia no que ia dar e nem como o lápis iria se comportar, mas no final parece que tudo se encaixou, e já quero fazer outros testes com esse jogo de cores ;)
      Bjks!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e por deixar o seu recado. Os comentários são moderados para que eu possa responder a todos com atenção. Caso for comentar em postagens antigas, favor levar em consideração a data de publicação, pois minha opinião pode ter mudado com o tempo. Saiba mais sobre os termos de uso e política de privacidade do blog clicando aqui.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial