Como usar lápis pastel seco

Por - 21.2.15


Ontem eu postei aqui no blog minha última ilustra, que faz parte da série Into The Forest e, como prometi, vou mostrar como trabalho com lápis pastel seco, um dos materiais mais legais que já conheci. Quero deixar claro que a minha intenção não é 1. cagar regra; 2. dizer o que é certo ou errado; 3. mostrar que só existe um único jeito de colorir com pastel

Sou marinheira de primeira viagem, tanto quanto quem chegar aqui via Google, procurando "como usar lápis pastel seco", portanto, o que desejo é uma troca de experiências e mostrar que comigo tem funcionado desse jeito, quem tiver outras dicas fique à vontade para contribuir com o post, certo?!

MATERIAL



Vamos começar com o básico, que é a escolha do material. Meus pasteis são da marca Derwent, e as cores do estojo são Skintones, pois acho mais fácil trabalhar novos materiais com tons que estamos familiarizados (quer uma opção nacional para trabalhar pele? Clica aqui). Os lápis dessa marca costumam ter o diâmetro um pouco maior do que a maioria que conhecemos, por isso, uso o apontador que ganhei deles lá em 2012.


Para espalhar o produto, uso um kit de esfuminhos também da Derwent, em três espessuras diferentes, e um pincel Condor de cerdas naturais. Aqui, o primeiro ponto importante sobre pastel: eu não consigo esfumar com o dedo, porque minhas mãos suam demais, além disso, tenho alergia a praticamente todo tipo de material artístico (coisas da vida...). Então funcionou muito bem a ajuda do esfuminho, e do pincel para dar acabamento e retirar o excesso de poeira. Mas tem quem trabalhe com os dedos, assim como tem pessoas que esfumam o próprio grafite desse jeito, então não é regra ter esses materiais. O importante é testar para ver o que se adapta melhor às nossas necessidades.

TESTANDO O PASTEL ANTES DA ARTE-FINAL


Acho que não é uma dica que caiba só ao pastel, mas a qualquer tipo de material. Tem que ter uma área de testes antes de colorir pra valer, para que você não fique com aquele medo de estragar tudo. Teste não é perda de tempo, pelo contrário: quanto mais informações temos, melhor o nosso aprendizado. Um sketchbook reservado para testar materiais, por exemplo, é como um caderno de receitas, onde anotamos quantidades, misturas e segredos...

Na imagem acima, peguei uma das cores e mostrei como fica em seu estado normal, logo que riscamos no papel, e esfumada com o dedo, o esfuminho e o pincel. Notem que a cor sumiu quando espalhei com o dedo, talvez em consequência do meu suor. Já com o esfuminho, a cor não só espalhou, como ficou bastante uniforme e os riscos praticamente imperceptíveis. O pincel é usado mais para acabamento, para limpar a área ao redor, ou reforçar a mistura das cores, mas sozinho não funciona para espalhar.


Misturar cores de pastel é bem mais simples do que lápis de cor, por exemplo. Na imagem acima, dois tons de azul, e o amarelo e vermelho para formar o laranja. Utilizei o esfuminho. Notem que o acabamento é aveludado, por isso é importante a maneira como vamos riscar o lápis no papel: se for em movimentos circulares, suaves, misturar e espalhar será bem melhor e dará a sensação de volume.

PARTINDO PARA O PAPEL!


Escolhi aqueles dois tons de azul do teste para colorir a pele do meu fauno. Comecei pelos cantos da face da figura porque achei mais fácil partir das bordas para o centro, visto que o rosto tem áreas de luz e sombra bem acentuadas. Risquei o lápis em toda a borda...


... e esfumei em direção ao centro. Se você achar que colocou pouco produto, calma: esfuma tudo o que está na folha, e depois coloca mais. Percebi que o pastel não é um tipo de material que aguenta excessos, é preciso ir com calma e dosar as quantidades. Ah, importante: utilize sempre papeis acima de 200 ou 300g, não é uma técnica para papeis finos!


O resultado do primeiro cantinho. Adicionei um pouco mais de cor e fui puxando sempre no sentido borda-centro, em movimentos circulares. Passei o pincel para remover o excesso, e deixei um pequeno degradé para indicar volume. Agora, vamos adicionar o outro tom de azul:


Assim como faço com lápis de cor, adicionei a tonalidade mais escura por cima, e repeti os mesmos movimentos suaves e circulares, em direção ao centro. As mesmas dicas valem para essa segunda camada de preenchimento: vai com calma, dosa bem o produto antes de colocar no papel.


Vejam que o azul escuro produziu mais volume e ajudou a não deixar a figura chapada (com uma cor só!). Para os pontos de luz, utiliza-se o pastel branco, assim como o lápis de cor branco.

FINALIZAÇÃO


Para dar acabamento, utilizei lápis de cor Polycolor, também em dois tons de azul, para reforçar as áreas de volume. Vejam que na testa, bochecha e nariz, apliquei o pastel branco para criar essa luminosidade. Repeti todos esses passos no restante da figura.

Depois de pronto, é hora de fixar. Eu falo isso a respeito de todos os meus trabalhos: TEM QUE FIXAR!!! Ilustração que não levou verniz é ilustração que vai deixar de existir rapidinho. Eu uso este aqui, da Acrilex, ele é barato, com acabamento fosco, tem ação fungicida e filtro UV. Tenho ilustras feitas há 10 anos que estão com as cores impecáveis, tudo por causa dele. Outra dica importante: tenha sempre uma folha de apoio para a sua mão, pra evitar sujeira e marcas de digitais.

Sei que este post ficou enorme, mas se você teve paciência para chegar até aqui, muito obrigada! Deixe nos comentários o que conseguiu aprender e se tem outras dicas para compartilhar. E se vocês, que me leem e acompanham o meu trabalho, quiserem outras dicas, me digam quais materiais desejariam ver em posts similares a este. ;)

Abraços,
Lidiane :-)

Veja também

14 Comentários

  1. Adorei o post! sempre tive curiosidade em usar pastel, não sei por que raios eu achava que fosse a coisa mais complicada do planeta, mas parece ser super simples. Pelo que entendi, é a mesma coisa que colorir com lápis de cor normal, né?! com a diferença de que o lápis pastel fica mil vezes mais bonito! As cores parecem mais vivas. Acho que aquarela deve ser mais dificil mesmo. :S Você já usou acrílico para pintar algum trabalho seu? vejo bastante gente usando acrilico também, e esse é outro que me parece complicado.

    Quando faço alguma pintura com aquarela, eu passo um verniz também, depois de seco. Uso o da Corfix, que me indicaram, não sei se tu conhece... não sei dizer se ele é bom ou não, pq foi o único que usei até então. ~E faz pouco tempo que me aventurei com aquarela. Antes disso, nunca tinha usado mesmo. Enfim, muito legal ver o teu processo de produção, e obrigada por compartilhar isso. Me inspirou a comprar um estojinho desses e testar também :)

    http://www.blreys.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia!
      Achei o pastel muito mais fácil de trabalhar do que a aquarela. É um material muito menos temperamental, digamos assim rsrsrs mas igualmente bonito.
      O acabamento dele, comparado ao lápis de cor, é mais aveludado. O lápis deixa um brilho na folha que o pastel não deixa, e os dois usados juntos deixam uma textura excelente.
      Eu só tenho 1 tubo de acrílica preta, usei muito na faculdade, mas é um material que gostaria de voltar a usar.
      Esse verniz que uso foi indicação de um curso que fiz e sempre usei ele por ser bom e barato, mas qualquer um que ajude a segurar o desenho já ajuda.

      Beijokas! ♡

      Excluir
  2. Vou em busca desse verniz =)
    Muito obrigada pelas dicas!

    ResponderExcluir
  3. Olá, adorei esta dica, a combinação de cores esta magnifica.

    Quando fazia o curso de desenho realista, o professor indicou o veniz da Talens, e no decorrer do curso ele ia passar a técnica de pastel seco, infelizmente não deu para continuar no curso, mas é algo que esta na lista de realizações, afinal tenho que terminar o desenho que comecei dos meus meninos um dia né, rsrs.


    Dica dos lápis já esta anotadissima ;)


    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dali!
      Já me falaram do verniz da Talens, tem outros que eu gostaria de experimentar com o tempo. Tem gente que não gosta desse da Acrilex, mas ele sempre funcionou muito bem para as minhas necessidades.
      Agora quero testar o pastel em barra, mas já vi que ele é bem mais complicado que o lápis aiaiaiai

      Bjks

      Excluir
    2. Eu acho que depende muito da onde se aplica, o professor na época disse que o acrilex não dava o acabamento necessario ao papel schoeller, dava mancha, acredito pelo fato de ter gesso na composição do papel, ele indicava sempre o talens para os desenhos, eu não cheguei a testa outros, mesmo pq é um papel muito caro para me dar o luxo de estragar, rsrs.

      Alias é um excelente papel para se trabalhar aceita bem até onde sei a maioria das técnicas, o único problema é o valor mesmo que aperta muito, você já trabalhou com ele?

      Eu sei de um outro semelhante na composição mas contém menos gesso que é o Lavis Technique, mas também não cheguei a usá-lo, e dizem que o valor é menos que o Shoeller.

      E espero que em breve consiga fazer os teste com as barras, pq com o lápis ficou muito bom o resultado ;)

      Abraço

      Excluir
    3. Eu ainda não usei o Shoeller, meus professores viviam falando do Hahnemühle (tive que colar do Google porque não sei escrever kkkk), que ele é ótimo, mas também é louco de caro. Agora tem pra vender na loja da Koralle, vou ver se compro um bloco para tentar mexer num papel mais nobre. Aí talvez precise de um spray apropriado para o papel 100% algodão.

      Bjks :)

      Excluir
  4. Oi, Lidiane, só para te avisar, te citei num post que fiz no meu blog, com link para o seu blog. Comprei alguns lápis pastéis para testar, graças a esse seu post ♥. espero que não se importe. (qualquer coisa, é só me avisar!) bjss :******

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que legal!!! *-*
      Vou lá ver :)
      Obrigada, bjs

      Excluir
  5. Espetáculo!!! uma aula e tanto, estou tentando aprender a usar o pastel, dou preferencia para lapis pastel seco, pois gosto do efeito aveludado. gosto de olhar esses videos no youtube pra me espelhar, fiz algumas perguntas para essa artista do tipo: qual o material que ela usa papel lápis etc mas nao me espondeu, veja os videos e me fala algo.Heather Rooney - https://www.youtube.com/watch?v=atoSFecVjI8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Enivaldo, obrigada! Fico feliz por ter ajudado. A Heather trabalha com lápis de cor da Prismacolor, é uma marca bastante usada por quem curte retrato realista. :)

      Excluir
  6. Oi, gostaria de tirar uma dúvida, esse tipo de lápis pode ser utilizado em tecido?Tenho assistido alguns vídeos estrangeiros e vi uma artesã utilizando um Lápis Pastel Seco Sépia da marca Koh I Noor.Ela só dá uma finalizada, sombreamento a parte de cima do olho depois de pintá-lo com tinta para tecido.Se souberem por gentileza me retornem pois estou querendo comprar mas preciso saber se realmente pode ser utilizado dessa forma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patricia! Eu não sei se esse lápis funciona em tecido, pois nunca testei. Tenho o sépia da Koh-I-Noor e também só uso em papel, ainda não experimentei em outros suportes.

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário.
Saiba mais sobre os termos de uso e política de privacidade clicando aqui.