Submersa

29/12/14


Olá pessoal!

A última ilustração do ano (nem acredito!) nasceu a partir do último livro lido, que foi A Menina Submersa: memórias, da Caitlín R. Kiernan. Fiquei tão impressionada com a história que, assim que finalizei a leitura, comecei a esboçar a minha menina submersa. Não é uma representação da Imp, a protagonista, mas uma interpretação de várias simbologias presentes na obra.



Sem querer dar spoiler: Imp é uma artista plástica esquizofrênica, que resolve escrever uma história sobre os fantasmas que a assombram. Só que essas assombrações não são aquelas tradicionais que conhecemos. No caso de Imp, é um quadro chamado A Menina Submersa, e outro chamado Fecunda Ratis, além de Eva Canning. mistura de sereia e lobo.

Estado deplorável da mesa.
Procurei trabalhar com o elemento água saindo/entrando na cabeça, mas sem deixar a figura "submersa". O efeito de mar agitado nos cabelos é algo que adoro. Os pássaros pretos também fazem parte da narrativa, e um olho aberto e o outro fechado representam o limite do sonho/real. A lua tríplice representa Imp e outras duas mulheres (loucas) de sua vida: a mãe Rosemary e a avó Caroline (a anciã, a mãe e a donzela, achei fantástica essa ligação). O resultado final ficou assim:



Materiais utilizados: aquarelas Pentel e Sakura, caneta pigment liner da Staedtler 0.3 e lápis aquarelável Derwent. Fiquei muito feliz com o resultado desse trabalho, fiz em uma tarde e cada vez mais estou curtindo usar aquarela. Espero muitas meninas submersas e muita tinta para 2015.

Abraços,
Lidiane :-)