Voltando a desenhar para mim ❤

21/11/16


Como é bom voltar aqui com algo que eu quero muito compartilhar! Voltei a desenhar para mim, sem pressão, sem prazos e tentando aplicar os conhecimentos adquiridos ao longo do ano e adequá-los ao meu estilo. ❤ Se estou feliz? Sim, bastante. É meu melhor trabalho? Não, não é, e eu sei disso. Mas o importante é que me senti tão leve ao fazê-lo, que só isso bastou para me deixar feliz.

Já fazia um bom tempo que eu queria uma capa personalizada para as redes sociais. Nunca havia parado para fazer algo exclusivo para este fim, sempre era um trabalho ou foto que eu batia o olho e dizia "hmm, isso serve para capa". Então, num dia, apenas pensei: Por que não? Vamos ver no que dá. Cortei um pedaço de papel já nas dimensões que me ajudariam na aplicação, sentei e fiz. 


Não havia um conceito propriamente dito pois, como mencionado acima, eu só queria me divertir e criar uma capa para redes sociais. Busquei uma foto de referência dessa pose que tanto amo desenhar, e achei que seria legal brincar com a ideia de um "mar de cabelos", que preenchesse praticamente todo o espaço do papel.

Nos últimos tempos, tenho aplicado quase tudo o que estudo em aquarela com outros materiais. Aqui, foram os marcadores. Trouxe algumas coisas aprendidas com a Sabrina, tais como: misturar azul e dioxazine para fazer os tons de pele (não deixar bege/marrom chapado) e dar mais atenção ao contraste por valor. Dos estudos de anatomia, algumas coisas quanto à proporção dos olhos e posicionamento dos elementos do rosto (embora essa orelha tenha ficado tirríver) e, por fim, após a leitura de O Uso das Cores, livro da Cris Peter que virou minha nova bíblia, procurei reduzir a paleta e pesar menos a mão no preto e na edição da imagem (com dicas da Sabrina também).

É aquilo que falei: não é meu melhor trabalho, mas já coloquei um tanto de coisa aprendida, tentando equilibrar com meu estilo próprio. Teve gente que achou o traço mais cartunesco, mas é só impressão, mesmo. A base do que uso sempre está toda aí: cílios enooormes, expressão facial, cabelos e outros cacarecos que eu coloco sempre, sempre e sempre. 


Materiais utilizados
- papel para marcadores Copic n. 6;
- Marcadores Copic e Sinoart na figura;
- Marcadores Posca e Bic para os detalhes;
- Multiliner Copic no contorno.

Um recado para quem está precisando de apoio emocional durante o processo criativo: seja compreensivo consigo mesmo. Tudo tem seu tempo, às vezes estudamos por um longo período e não conseguimos chegar a um resultado satisfatório logo de cara; às vezes parece que nosso conhecimento retrocedeu; às vezes parece que perdemos o foco, ou que focamos tanto no resultado que perdemos o processo. Tenha calma, respire fundo, afaste-se do problema e tente ver o todo. Você não precisa fazer o melhor trabalho do mundo, apenas o melhor que pode dar naquele momento. E, quando conseguir olhar em retrospecto, saberá que houve sim crescimento: material (sua técnica, seu estilo, o uso dos materiais) ou pessoal (suas atitudes, os pensamentos que cultiva, como encara as adversidades). Ok?

Essa mocinha está espalhada por todos os perfis, com seus cabelos vermelhos esvoaçantes e sua cara de quem não deve nada para a sociedade. Para acompanhar meus trabalhos em tempo ~quase~ real, é só me seguir no Instagram, Facebook ou Tumblr. Veja todos os meus trabalhos profissionais no Behance.