Como lidar com comentários maldosos

03/06/18


A internet é esse lugar maravilhoso, que nos proporciona entrar em contato com pessoas de várias partes do mundo, firmar parcerias, tecer amizades que se expandem para o mundo real e mostrar nosso trabalho para o maior número possível de apreciadores e clientes em potencial. Se não fosse pela exposição na web, certamente eu ainda estaria guardando desenhos numa pasta catálogo preta, sem ter coragem de mostrá-los para ninguém, o que dirá vendê-los.

Mas existe um lado obscuro da rede, onde as pessoas não têm o menor pudor em utilizar perfis falsos (ou até mesmo suas próprias contas pessoais) para destilar ódio contra os outros. Supostamente protegidos pelo anonimato e por um avatar, esse grupo se acha no direito de falar todo tipo de impropério nas contas alheias, com a desculpa de ser só a sua opinião.

Nos últimos dias, passei por uma onda de hate que há muito tempo não acontecia. Minha última ilustra recebeu uma enxurrada de comentários ofensivos no Pinterest, que iam desde "essa droga não está parecida com a Marilyn" até "o que está acontecendo nesse nariz, ela parece estar cheirada". Na hora minha reação foi reportar tudo como spam e bloquear os perfis, a maioria em inglês e sem foto, contas inativas ou robôs usados para causar estrago, mesmo. 

Pessoalmente, não me sinto mais ofendida com esse tipo de prática, pois se uma imagem é repetidamente compartilhada, vai aparecer algum comentário escroto, é inevitável. No caso da minha ilustra, ela foi salva várias vezes num curto espaço de tempo, e pode ter atraído um público que não é o meu. Mas já passei por situações horrorosas, que estragaram meu dia e me deixaram super mal, então gostaria de deixar algumas dicas que ajudaram a me blindar mais contra os haters.

1. Não bata tambor para maluco dançar

Essa frase é do Lenadro Karnal, uma pessoa que certamente lida com muitos haters, e que adotei para a vida. Eu simplesmente não dou palco para os odiosos, pois o que eles querem é aparecer. Quanto mais você tenta rebater um comentário ou argumentar com a pessoa, pior fica e mais audiência ruim você chama. A solução que encontrei foi dar block logo de cara. Simples assim, não tem conversa, pois o hater não quer discutir de maneira saudável com você, ele só quer ter razão e achar que a sua opinião é a verdade absoluta. Aqui funciona mais ou menos como o paradoxo da tolerância.

2. Use filtros de palavras e moderação de comentários

Quem é frequentador assíduo do blog já está acostumado com os comentários moderados, inclusive tenho uma página inteira dedicada à política de privacidade que adotei. A moderação inibe uma série de atitudes maldosas, visto que o comentário não ficará visível logo de cara, e perderá seu "efeito surpresa". Já a maioria das redes sociais possui filtros de palavras, que nada mais são do que listas de termos que você considera ofensivos e que não gostaria de ver atrelados ao seu trabalho. No meu Instagram, por exemplo, um dos termos filtrados é "vagabunda". Também é possível definir um filtro geral para comentários, assim, palavras de baixo calão são automaticamente retidas em spam.

3. Não leve para o lado pessoal

Essa talvez seja a dica mais difícil, mas realmente não leve para o lado pessoal. A maioria dos haters sequer conhece você ou seu trabalho, e acabou caindo no seu perfil "acidentalmente". Eu costumo dizer que essas pessoas fazem roleta russa sobre quem vão importunar e, de vez em quando, temos a má sorte de sermos sorteados. Caso o hater seja alguém que você conheça, tente procurar a pessoa no privado e perguntar o que está acontecendo. Isso vale para as famosas indiretas, quando você se vê num fogo cruzado de shade e não sabe como proceder. Chame no privado e pergunte o que houve, uma boa conversa resolve na maioria das vezes.

4. Tome medidas legais

Se o comentário maldoso extrapolou todos os limites e virou perseguição, tome medidas legais. Tire prints de todos os comentários e conversas e registre um boletim de ocorrência na delegacia de crimes virtuais. Se a pessoa insistir em perturbar, diga que todas as providências já foram tomadas e a polícia foi acionada. Isso ajuda a coibir a ação desses perfis e serve como prova num futuro processo.

Espero ter ajudado quem está passando por uma situação constrangedora na internet e repito: não deixe que meia dúzia de pessoas desocupadas atrapalhem sua vida e seu trabalho. A rede é maravilhosa em vários aspectos e ajuda muitas pessoas que não teriam a oportunidade de desenvolver sua arte se dependessem só do mundo real. Cerque-se de pessoas do bem, que darão suporte a você e coragem para seguir adiante. Seja legal e crie uma corrente do bem entre artistas (follow friday, grupos de interação, etc.). E corte o mal pela raiz quando e se ele chegar até você.

*Imagem por Igor Ovsyannykov via Unsplash

Conheça meu Portfólio profissional