Tag: 15 coisas legais que aconteceram em 2015

29/12/15

Vem comigo! Foto: Antonio Quaresma
A Ana Blue, do blog 9dadesasolta, me marcou na tag 15 coisas legais que aconteceram em 2015, e aproveitei para fazer um comparativo com as metas que estabeleci para minha vida nesse ano. Será que consegui cumprir o que prometi? Será que teve mais coisa boa, mais coisa ruim ou foi 50-50? Vamos descobrir:

1- consumo mais consciente: esse foi o grande mérito de 2015. Eu parei de comprar até o mundo acabar. Desde roupas e sapatos, até livros e materiais artísticos, minhas compras foram bastante controladas (com algumas jacadas de vez em quando), em nada se comparando a anos anteriores. 

2- desapego: junto com o consumo consciente, veio o desapego de tudo aquilo que estava sobrando. Doei livros, lápis, canetas, roupas, sapatos, acessórios. Limpei gavetas e caixas que continham desde maquiagem até sketchbooks nunca usados. Não cheguei a aplicar a Marie Kondo, mas busquei um olhar mais crítico a respeito do que gostaria de guardar na minha vida. 

3- uso do sketchbook: eu tinha um grande problema em deixar esboços inacabados e o sketchbook com aquela cara de "aqui pode errar". Tudo precisava ser perfeito, e isso me fazia mal. Mas consegui reverter essa lógica e transformar meus caderninhos (atualmente 4 em uso) nos lugares onde tudo é permitido: erros, experimentos, proporções esquisitas...


4- desafios: teve BEDA#agostodoartista e Inktober. Consegui completar todos os desafios e manter minha sanidade mental, razoavelmente, ao final de todos eles. Apesar de ter ficado muito cansada com o último, quero voltar a me desafiar em 2016, porque ajuda a me manter focada.

5- materiais novos: fui a fundo na aquarela, não que tenha me tornado uma expert, mas perdi o medo. Também testei o pastel seco, arrisquei pouca coisa de desenho digital e tive períodos de miscelânea de materiais, contrastando com outros de retorno ao bom e velho grafite.

6- vídeos: reativei o canal no YouTube e estou muito feliz com a receptividade do vídeo sobre a mesa de luz artesanal. Aos poucos, vou me aperfeiçoando, mas já coloquei muita coisa que pretendia há um bom tempo: tem resenha, vlogspeed painting. E aceito sugestões sempre.

7- oficinas e festivais: em junho, participei do Festival CoMundo, onde ministrei uma oficina de desenhos para colorir. Em outubro, a Andréia Pires e eu ministramos o curso Maremundo, voltado ao público infantil. Foram experiências legais e serviram de parâmetro para organizar novos projetos.

Todo mundo dizendo xis! Foto: Andréia Pires
8- presença na rede: reduzi minhas redes sociais, portfólios e lojas pela metade, porque é humanamente impossível estar presente em todos os lugares, ao mesmo tempo, com qualidade. Depois até me arrependi e voltei atrás em alguns, que realmente fizeram falta (como a loja nacional e o Behance). Mas esse detox virtual foi bom para me afastar um pouco do Facebook, que pode ser bem prejudicial à saúde de vez em sempre quando. 

9- site: foi um passo muito importante pra mim, pois significou a profissionalização do meu trabalho, o cartão de visitas virtual que tanto queria. Além de ter sido a primeira vez que fiz uma curadoria entre todas as minhas ilustras, para selecionar o que era relevante.

10- cursos e leituras: fiz alguns cursos de ilustração online, que foram fundamentais em momentos de crise criativa. Além disso, voltei a fazer leituras técnicas, com o intuito de estudar e me atualizar em vários conceitos. Retomei coisas básicas, como anatomia, cor, elementos da imagem, dentre outros.

11- organização: a partir de um planner mensal, consegui me organizar para dar conta de tudo o que precisava fazer. Existem modelos ótimos na internet, é só baixar, imprimir e usar. De preferência, que fique num local visível (no meu caso, numa prancheta acima da mesa). Para quem está procurando um planner para chamar de seu, recomendo o do Flufly, do Não Me Mande Flores e do Primeiro Rabisco.

12- descanso: consegui viajar! E tirei vários feriadões para relaxar, ler um bom livro e descansar bastante. Acho que 2015 foi o ano que mais parei para esvaziar a cabeça, em muito tempo. E foi ótimo.


13- exposição: em abril fiz minha terceira exposição individual, chamada Mulheres, promovida pelo Centro Municipal de Cultura. Foi um mês de trabalho intenso, pois elaborei todo material inédito e exclusivo para a ocasião. A receptividade foi muito boa, além de ter feito contatos com outras pessoas e tornado minha arte conhecida na cidade, pois sinto que fico muito focada na internet e no "mercado externo".

14- participação na imprensa local: por conta da exposição, participei de alguns programas de TV locais, principalmente os da FURG (emissora universitária). Também recebi destaque no suplemento de cultura do Jornal Agora, com direito a matéria de capa e entrevista. Foi muito legal! 

15- me importei menos com a opinião alheia: foi o ano do dane-se. Aprendi isso com a idade, com o feminismo e com a Elizabeth Gilbert. Nós não temos controle sobre a opinião dos outros, e isso não deve nos afetar. Só preciso aprender a dizer mais nãos. Ainda me incomodo com pessoas que não valorizam o trabalho artístico e querem explorar a todo custo, e isso seria facilmente resolvido com uma boa negativa.

Não vou taguear ninguém específico, mas quem quiser aproveitar esse momento para fazer um balanço do que aconteceu no seu ano, fique à vontade, e não esqueça de indicar o link nos comentários, para que eu possa visitar.