Há oito anos aqui, e contando... 🎂

Por - 10.4.18


A correria tem sido tanta que esqueci o aniversário do blog (e até publiquei após isso). Pode parecer bobo, mas sempre faço questão de registrar que mais um ano passou e continuo aqui. Mas assim que lembrei, vim correndo escrever algo. Pensei em fazer uma grande retrospectiva, tirando velharias do fundo do baú dos meus álbuns do Picasa, mas ponderei um pouco. Acho melhor escrever sobre (im)permanência, tempo e o que esperar de um espaço como este. É uma reflexão interessante em tempos imediatistas, onde tudo é pra ontem e a resposta precisa ser positiva sempre.

Esses dias acompanhei algumas discussões no Twitter sobre blogueiros das antigas que estão retomando seus espaços e tirando o mofo do feed. Ano passado deixei meu Feedburner todo atualizado e sempre procuro dar atenção para o Bloglovin, o leitor de feed que uso atualmente. E fiquei cheia de esperanças com esse revival, com essa vontade de nadar contra a maré. Porque é isso que faço aqui desde o começo: sou um peixe muito pequeno, nadando contra uma maré imensa, e gosto disso.

Lá em 2010, quando comecei, os blogs já tinham atingido seu apogeu e começavam a declinar. Muita gente estava migrando para plataformas mais "atraentes", como o YouTube. Falando em blogs artísticos, acompanhava os da Fernanda Guedes, da Nanda Corrêa, da Ila Fox, da Esther Duraes, e somente um canal, da Leilani Joy. A Esther é uma moça portuguesa que, na época, postava seus desenhos e foi a primeira pessoa que vi resenhar um material artístico como as blogueiras de maquiagem faziam. Foi através dela que entrei em contato com a Derwent, anos antes da marca vir para o Brasil, e ganhei um kit de produtos maravilhosos, que tenho até hoje.

Os anos foram passando, comecei a participar de blogagens coletivas (saudades Rotaroots) e conheci muita, mas muita gente legal. Pessoas que eu admirava a distância e hoje são minhas amigas, que compartilham seus projetos comigo. Acho engraçado o tanto de vida que esse espaço já tem, pois dou aulas para crianças de 4 a 8 anos, exatamente o tempo que estou aqui na internet, abrindo o mesmo painel do Blogger (nunca troquei para Wordpress) e buscando template free para instalar.

O que todo esse relato quer dizer sobre as três coisas que elenquei no primeiro parágrafo (impermanência, tempo e o que esperar de um blog)? É simples: vão ter dias que a vontade é de excluir tudo e nunca mais postar, em lugar algum (o que já aconteceu comigo, pois excluí o blog por um breve período depois de criá-lo, e reativei antes do Google deletá-lo completamente). Às vezes você vai achar que todo o tempo que "gasta" com o blog e seus esforços não são devidamente recompensados. Eu passei anos na total invisibilidade, até que um dia postei como faço o efeito galáxia em aquarela e passei de 50 a 1000 acessos por dia. Você também vai se questionar do por quê aquela pessoa que recém começou já estar visitando fábrica de marca famosa e você está exatamente no mesmo lugar, mas a minha resposta para tudo isso é: o que importa é o caminho, e não a linha de chegada.

Através do blog eu aprendi programação, melhorei minhas habilidades como designer, consegui me firmar como ilustradora, montei loja, fiz colaborações, exposições, dei entrevista, fiz muita coisa que nunca aconteceria se eu não me dispusesse a clicar no botão laranja de publicar. Aqui é minha válvula de escape quando estou frustrada, gosto de manter tudo arrumadinho para que possa dizer para mim mesma o quanto sou capaz de fazer algo com minhas próprias mãos e sentir orgulho por isso. Como diz o Austin Kleon, é minha casa na internet e sempre, sempre procuro mostrar aqui o meu melhor lado. 

Durante muito tempo meu Currículo Lattes foi impecável, modelo para os outros copiarem. Cheguei a ministrar oficina sobre como preenchê-lo. Mas aquelas informações eram só um amontoado de dados, eu não sentia que estava ajudando os outros com minha experiência acadêmica. E toda vez que me disponho a resenhar um livro, ou mostrar meu processo criativo, dar uma opinião sincera aqui, cada comentário e compartilhamento valem muito. E mesmo que ninguém leia, o sentimento é de dever cumprido. Eu sinto que estou retroalimentando um sistema do bem.

Agradeço por estar aqui há oito anos e ter colhido frutos tão bonitos com meu trabalho. Um espaço que começou para que eu pudesse sistematizar minhas ideias, e hoje é uma das coisas que mais tenho orgulho em manter. Podem vir os próximos anos, pois a porta está aberta.

Veja também

12 Comentários

  1. Primeiramente, parabéns! Segundo, orgulho é a palavra e o sentimento que define essa data.

    Há muito tempo, quando comecei a falar sobre materiais de arte na internet, um dos primeiros blogs que conheci foi o seu e o acompanho até hoje. E o mais legal de tudo, é poder acompanhar seu crescimento durante esse tempo.

    Acho muito legal que continue "blogando" depois de tanto tempo. Atualmente, uso o blogger como uma espécie de caderno de esboços e ideias, apenas um complemento ao portfólio e ao Instagram. O blog original, a ideia inicial, murchou ano passado e muito provavelmente, nunca mais voltará. Aquele BUM, não rolou comigo, por isso, depois de um tempo, infelizmente acabei cansando de blogar e investir tempo e dinheiro em algo que não gerava praticamente nenhum retorno. Nem estou falando de dinheiro, estou falando de reconhecimento msm.

    A caminhada é mais importante que a chegada, quando entendi isso, percebi que não tinha nenhum objetivo para cumprir, mas sim que deveria me divertir enquanto caminhava. Por isso não fazia mais sentido falar sobre os materiais que eu uso, muita gente fazia isso muito melhor. Atualmente, quero apenas usar meus materiais em prol da minha diversão, o resto, é o resto.

    Lidiane, desculpe pelo "desabafo"... fico feliz pelo seu blog, principalmente por que sou frequentador e "comentador" assíduo dele. Espero, no mínimo, mais oito anos de conteúdo. kkkkkk

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mateus, em primeiro lugar, muito obrigada por ser o top comentarista do blog (saudades de quando os blogs faziam as promos de top comentarista hehe) e por sempre compartilhar as tuas opiniões e dicas aqui neste espaço.

      Sou muito grata por ter uma caixa de comentários free chorume™️ e pessoas que apoiam o que faço, ajudando a manter o clima amigável e acolhedor para quem está chegando agora.

      Eu costumo brincar que o blog teve boom e eu tratei de "desboomdar" quando vi que fiquei escrava de linha editorial. Quem quer crescer com blog precisa postar muito, correr atrás de parceria, catar muita novidade para mostrar e eu, definitivamente, queria me divertir. Perdi uma oportunidade grande? Certamente. Mas também me permiti seguir organicamente, apostando naquilo que eu queria ver num blog. Tem gente que acha que o blog precisa ser escrito para os outros, mas eu penso que deve ser escrito para nós, e quando nós não estamos felizes com aquilo, para quê continuar, não é mesmo?

      E isso que você falou sobre resenha de materiais é bem o que penso também, a minha maior preocupação hoje é experimentar coisas novas, estudar e me satisfazer com esses resultados, e se isso interessar a quem me lê, já considero lucro. Aos poucos, tenho descoberto que outras pessoas pensam assim também, e estão reativando seus blogs justamente em prol do retorno dessa visão mais intimista das coisas.

      Espero que venham mais oito anos sim, daqui a pouco já estou comemorando 10 hahahaha, aí vou dar uma festa o///

      Abração!

      Excluir
  2. Juliana Fiorese12/04/2018 11:29

    Lidy, parabéns pelos 8 anos de blog. <3 E é a gente que tem que agradecer por tudo, por todos os posts, pelas dicas e por tudo que compartilhas por aqui. Sei o quão difícil é manter um blog. És um grande exemplo !! Parabéns! Parabéns! Que este espaço continue te trazendo grandes presentes. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ju!!! ❤️ Seu blog está entre os meus favoritos, sempre presente no meu blogroll. Ainda sonho com um encontrão de artistas-blogueiras do Brasil todo 💖

      Beijão!!!! 😘

      Excluir
  3. Adorei o post, e me identifiquei em várias partes. Aliás, esse post faz eu me sentir menos sozinha no mundo XD obrigada, Lidy!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Emmy!! Não estamos sozinhas 👽 hehehehe Amo teu blog ❤️

      Beijos 😘

      Excluir
  4. Oiê, Lidy! Parabéns pelo aniversário do blog e pela reflexão. (Acho que você escreve muito bem!) Com certeza as coisas mudaram muito na última década de internet... Acho que tenho blog (não o das alegrias ilustradas) desde 2007 ou algo assim. Tb tive a minha fase de maior empolgação e as conexões que a gente fazia eram bem diferentes na era pré-facebook. Acho que a gente era mais inocente e isso era bom. Já meu blog relacionado a meu trabalho com ilustração, embora bem mais recente, me ajudou a aprender muito sobre meu processo criativo e a caminhar um tanto com minha, então, recém imaginada, carreira de ilustradora (que já evoluiu um bocado, graças a Deus... mas como vocÊ diz: é tudo processo)... também pude conhecer pessoas legais como você e outras meninas. Assim como você, penso que blogar trata de uma retroalimentação de um sistema do bem. (Volta e meio ainda me surpreendo com um novo comentário em postagens antigas que me lembra que meu blog tem uma grande importância pra mim e pelo menos um tiquinho de importância pros outros.) Sinto falta de blogar... mas não tenho encontrado um momento na minha rotina. Até tenho algumas pautas sobre as quais quero escrever mas tenho me sentido muito sem timing como se elas já estivessem datadas na minha vida. XD Enfim! Continue! Espero voltar em breve pq tb considero essas casas virtuais importantes! E porque tenho tido vontade de compartilhar mais do que aprendo e do sinto... e o blog ajuda muito nisso. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lila!! Adoro as tuas visitas, sempre :) Nós temos pensamentos bastante parecidos em relação a blog e trabalho, e eu adoro acompanhar a evolução e o processo criativo das artistas ao longo dos anos. O seu trabalho é um exemplo não só artístico como também de empreendedorismo (assim como a Yas!).

      Uma pessoa que me surpreende a cada dia é a Fernanda Guedes, sempre um dos meus ícones. Lembro até hoje quando ela anunciou que pararia com o blog, que durante anos foi um dos grandes responsáveis pelo meu retorno ao desenho. Acompanho a trajetória dela e fico encantada com tamanha vontade de estar sempre se reinventando, sem perder a identidade.

      E penso que esse é o grande barato de blogar: seguir caminhando e fazendo as coisas quando se tem vontade. Quando o serviço fica burocrático, é hora de repensar as coisas. E várias vezes fiz isso. Espero ainda continuar com esse espaço por um bom tempo, pois é a fonte de muitos afetos e inspiração ❤️

      Beijão!!

      Excluir
    2. Apesar dos avanços, com relação a parte do empreendedorismo, sinto sempre como se estivesse sempre começando. 😅😅😅 No mais, obrigada por tudo... pela resposta, pela amizade, pelo trabalho... 😊💛

      Excluir
    3. Esse sentimento é porque vc está sempre buscando aprender, e isso é bom ;)
      Beijo! 😘

      Excluir
  5. Hoje estou fazendo uma 'limpeza' na lista de blogs que sigo, e acabei de excluir todos os que não tinha postagens recentes. Que bom que você continua na ativa. Eu mesmo tenho um blog que há tempos não publico nada. A vida vai passando e prioridades vão surgindo. Vamos cada vez mais deixando de sermos crianças para assumir responsabilidades. Também há o fator cansaço e descrença, misturado com preguiça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso que a chave para o equilíbrio é blogar com vontade e sem pretensão, quando der e se der. Acho que é por isso que tenho blog há tanto tempo, procuro não colocar aqui as pressões que sofro em outras esferas da vida.

      Excluir

Muito obrigada pela visita e por dispor de um pouquinho do seu tempo para deixar um recado! Antes de prosseguir, atente para a política do blog:

Os comentários são moderados para que eu possa responder a todos com atenção. Mensagens ofensivas, machistas, misóginas, racistas, LGBTfóbicas e xenófobas não serão toleradas, bem como slut e body shaming. Críticas são bem-vindas, desde que feitas com educação. Não me responsabilizo por informações pessoais que os leitores venham a publicar nos comentários.

Saiba mais sobre os termos de uso deste espaço clicando aqui.