menu
30/01/2019

Hekate Phosphorus


Não é de hoje minha admiração pela deusa Hécate, a Senhora das Encruzilhadas. Desde uma experiência muito importante - e de estudos que tenho feito, a vontade de retratar essa entidade é recorrente. Em 2016, desenhei um retrato que fez muito sucesso e até entrou para minha última exposição individual e, desde então, fiquei com aquela imagem tríplice na cabeça, como se Hécate sempre aparecesse para mim daquele jeito.

Por isso, não considero essa ilustração uma releitura daquela de três anos atrás, um #drawthisagain. É mais um retrato da mesma divindade, na mesma posição que eu acredito que ela se materializa para mim. Dessa vez, trabalhei com a aquarela e acrescentei as duas tochas, símbolos de Hécate.



O processo é sempre o mesmo para todas as pinturas. Assim como em 2016, não usei referência fotográfica para a ilustração, deixei a imagem se apresentar da maneira mais natural possível. Dei especial atenção para a anciã, pois preciso melhorar muito meu traço quando faço pessoas mais velhas. 

Optei por usar tons de roxo e azul marinho e atribuir às figuras pequenos elementos que as identificassem: a virgem usa uma guirlanda de flores; a mãe usa uma coroa; a anciã usa um manto, além da lua tríplice e das já mencionadas tochas. As cores dos cabelos também remetem a cada uma das faces da deusa. O resultado:

Materiais utilizados

  • Papel Hahnemuhle Expression 300g;
  • Aquarelas Van Gogh e Cotman;
  • Pincéis Keramik;
  • Multiliner Staedtler;
  • Canetas douradas Posca e Pentel.

Nos próximos dias vou elaborar um post com uma lista atualizada de todos os materiais que uso, em substituição a um mais antigo aqui do blog.


Recentemente, adquiri o livro Todas as Deusas do Mundo, de Claudiney Prieto (influência da Karina Beraldo) e pude ampliar meus conhecimentos sobre Hécate. A deusa possui inúmeros títulos, dentre eles, Phosphorus, que significa aquela que tem a luz. Nessa representação, ela traz a tocha. Como tenho buscado iluminação para resolver uma série de questões na vida, acredito que este título vai ao encontro do caminho a seguir.

Para fechar, do Oráculo da Deusa:

Sento-me no negrume da noite da Lua Nova
com meus cães
na encruzilhada
para onde convergem três caminhos
o lugar da escolha
Todos os caminhos levam à encruzilhada
e todos são desejáveis
mas apenas um você pode percorrer
apenas você pode escolher
a escolha cria finais
e todo início vem de um final
na encruzilhada
Qual você escolherá?
Qual caminho percorrerá?
Qual?
Embora a escolha seja sua
eis aqui um segredo que partilho com você
O caminho a escolher é adentrar o vazio
O caminho a escolher é deixar morrer
O caminho a escolher é voar livre

Conheça meu portfólio profissional
Loja virtual | Contato: lidiane@lidydutra.com

3 comentários:

Muito obrigada pela visita e por deixar o seu recado!
Caso você esteja comentando numa postagem antiga, favor levar em consideração a data de publicação, pois minha opinião pode ter mudado com o tempo. Saiba mais sobre os termos de uso e política de privacidade do blog clicando aqui.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial