Mermay 2020 | Semana 01

06/05/20


Chegamos a mais um MerMay. Desde 2016 tento participar desse desafio (da melhor forma possível). Em 2016 fiz apenas um trabalho; em 2017 fiz um por semana e em 2018 também. Ano passado fiquei um pouco cansada e resolvi fazer apenas um. Esse ano, quarentenada em casa, vou tentar fazer uma ilustração por semana. Mas não garanto que vá se concretizar, pois tenho demorado bastante para concluir meus desenhos, o contexto da pandemia não tem me deixado mais produtiva - e está tudo bem com isso.

Para 2020, resolvi passar meus desafios anteriores em revista. Fazer autocrítica é um exercício que melhora demais a nossa percepção sobre as coisas e, por mais que eu tenha melhorado em muitos aspectos meu trabalho, faltava representatividade nas figuras, e isso importa. Por isso, para este ano, decidi retratar sereias fora do padrão estético imposto pela mídia, a fim de que mais meninas e mulheres consigam se enxergar nas minhas ilustrações. E resolvi começar com uma sereia plus size, com seus cabelos curtos, subvertendo alguns estereótipos que rondam esses seres míticos.

 
A ideia original era deixar os seios completamente à mostra, mas acabei tomando um strike do TikTok por isso, então, prevendo que ia acontecer em outras redes, me auto-censurei, infelizmente. É horrível, mas os algoritmos já não entregam metade dos conteúdos, e eu não queria correr o risco de ter uma conta suspensa ou ser banida. Fica aqui o registro da ideia original, presente nos primeiros esboços.


Vou utilizar somente lápis de cor nessas ilustrações por uma questão logística, pois estou com pouco espaço para produzir, no momento. E também é uma maneira de tentar resolver com outros materiais algumas soluções que encontrei na aquarela, e ver se funciona. Acima, detalhe das escamas com caneta metalizada. Não fiz toda a parte da cauda dessa sereia, apenas sugeri que a parte inferior do corpo é coberta por escamas. Também tentei um efeito furta-cor com o lápis, que não deu muito certo.

Para a pele, trabalhei com azul escuro, laranja, marrom e vermelho. Lembrando que o fatídico "lápis cor de pele" (rosinha ou bege) não é a forma mais inclusiva de representar toda a gama de tons de pele que existe, e muitas outras cores podem suprir muito bem essa demanda, como as que eu utilizei. Ainda falando sobre lápis, utilizei os SuperSoft da Faber-Castell, tenho gostado bastante de trabalhar com eles, e também os tons pastéis da Cis, que são muito bons e entregam bastante pigmentação, realmente me surpreendi com a qualidade. O resultado:


Materiais utilizados

  • Papel Concept Hahnemühle 200g;
  • Lápis de cor SuperSoft Faber-Castell e tons pastéis Cis;
  • Canetas metalizadas Cis, Giotto e Sakura.


Quem quiser acompanhar meu MerMay para além do blog, é só seguir pelo Instagram ou Facebook. Lembrando que a entrega de conteúdo varia de acordo com o que o algoritmo quer, às vezes não chega a 5% das pessoas que me seguem. Por aqui, vou tentar postar toda a semana, juntamente com os processos de criação. Sugiro também acompanhar o trabalho de outras ilustradoras que têm feito um lindo MerMay, como a Karina Beraldo.

E para quem curte acompanhar podcasts, vou deixar aqui o link para o We can be readers, da minha amiga Suellen Rubira, que também está com um blog, ambos dedicados à literatura. A arte ficou por minha conta, com uma das ilustras que mais amo: