O Hierofante

03/01/2021


Desde 2018 tenho ilustrado o arcano regente do ano, algo que começou de uma maneira despretensiosa, e hoje levo como uma pequena tradição, que serve para fechar um ciclo e abrir outro. Geralmente, começo o esboço no final de dezembro, para fazer os acabamentos no dia 01 de janeiro, assim passo o primeiro dia do novo ano desenhando, em paz, com minhas tintas e lápis. Neste álbum do Behance é possível ver os arcanos anteriores, ou então aqui pelo blog, navegando pelos arquivos de janeiro dos últimos três anos. 

A carta de 2021 é O Papa/O Sumo Sacerdote/O Hierofante. Dependendo do deck de tarô, o arcano V vai aparecer com um desses nomes, representado por um pontífice ou por um alto sacerdote. Eu fiquei em dúvida entre representar o papa numa visão mais dark (usando o vocalista do Ghost como referência) ou então representar Anúbis, o deus egípcio com cabeça de chacal. Depois de uma enquete no Twitter, ganhou Anúbis, e parti para a busca de referências.

Foi um pouco demorado chegar nessa composição, pois todas as imagens que eu encontrava ou eram de decks de tarô egípcio super estilizados, ou de escavações, ou de concepts nas quais Anúbis era um cara fortão e mal encarado. Então tentei pensar em coisas da própria arte egípcia que me agradam (e que costumo falar nas minhas aulas): lei da frontalidade, uso de tons terrosos, simetria, harmonia. Foi aí que surgiu o primeiro esboço, no qual a coroa e a vestimenta se integram num círculo, e os ombros do deus servem como base para a balança (libriana mode on). A partir, daí fui refinando o conceito.


Usei um dos meus godês para fazer o círculo maior, e vários potinhos de tinta para os círculos menores e arestas do fundo. Também usei muita régua, coisa que não curto muito, mas precisava deixar tudo da maneira mais harmônica possível (e menos torta). Para a cabeça de Anúbis, tentei não deixar muito estereotipado, nem realista, me baseando em figuras egípcias mesmo. Já para as cores, tentei trabalhar de acordo com o círculo cromático e também com as tonalidades que encontramos associadas ao deus.

Depois de finalizada, joguei a ilustração no Photoshop e fiz alguns ajustes que julguei necessários: retirei a cruz ansata, pois ficou muito torta e era um ponto focal que tirava a harmonia da ilustração, e também coloquei uma textura de papiro ao fundo, e acho que isso fez toda a diferença na finalização, pois deu o toque "antigo" que faltava. O resultado:


Materiais utilizados

  • Papel Moulin DuRoy 300g, grana fina;
  • Aquarelas White Nights;
  • Pincéis pelo sintético Giotto;
  • Lápis de cor Bruynzeel;
  • Marcador dourado Sakura;
  • Fundo aplicado digitalmente no Photoshop.


A instituição do sagrado 
Milênios se passaram e as vidas de muitos homens e mulheres vieram e se foram. Em seu lugar, eles deixaram história, e nessa história eles deixaram um poço de sabedoria, experiência, conhecimentos e ensinamentos. É a partir desse poço de sabedoria e conhecimentos antigos que a tradição surge, assim como os meios mais eficazes pelos quais essas tradições podem ser ensinadas e acessadas: organizações, instituições. Essas entidades foram planejadas originalmente como um ambiente seguro e estável para transmitir a tradição e a sabedoria pertencentes a elas. Quando entrar na minha igreja, descobridor da sabedoria, você se envolverá na rica tradição sobre a qual ela é erigida; quando buscar meu conhecimento, você também assumirá seu lugar legítimo na longa fila de todos aqueles outros acólitos e neófitos sedentos de conhecimento. Eu sou o mensageiro da nobre e grandiosa sabedoria buscada por milhões de pessoas, oferecida a elas a todo momento por aqueles que aceitaram o manto do papa, revelador do sagrado. Eu posso lhe mostrar os mistérios e lhe entregar as chaves para os portões da sabedoria, mas você precisa estar ciente de que receber a sabedoria tradicional de um mestre é um passo necessário para qualquer caminho verdadeiro de conhecimento.
- Tarô Iluminati

Cabe aqui ressaltar que faço essas ilustrações com intuito artístico, tomando liberdades artísticas. Não pretendo lançar um deck com todas elas, então não me prendo a todos os elementos associados às cartas. Se você é tarólogo e veio parar aqui no meu blog, e está prestes a escrever um comentário me xingando, por favor, leve em consideração que é uma representação puramente artística.

Foi a primeira vez que usei as aquarelas da White Nights e os pincéis da Giotto (deu pra ver que a lista de materiais é totalmente diferente do post anterior), e ainda quero falar desses materiais, em específico. Mas já posso adiantar que não poderia estar mais feliz com o investimento, pois me surpreendi muito positivamente com a qualidade de ambos. Acredito que são as melhores aquarelas que já tive na vida. Mas vou testar mais, e deixar para opinar melhor numa próxima oportunidade.

Para ver meus trabalhos em tempo (quase real) é só seguir meu Instagram. Quer comprar uma ilustra? Tem na Colab55. Quer encomendar? Clica aqui.

Comentários

Muito obrigada pela visita e por deixar o seu recado. Por favor, leve em consideração a data do post, pois minha opinião pode ter mudado com o tempo, e alguns links podem estar quebrados. Conheça os termos de uso do blog antes de comentar.